Lisboa: Guia completo do que fazer na cidade

Resumo do Post

Outubro de 2021

E as fronteiras reabriam e lá fomos nós revisitar Portugal. Eu tenho um imenso carinho pelo país. Tenho família no Porto e em Lisboa, e é sempre um grande prazer revê-los e participar um pouquinho do dia a dia deste lugar que faz, nós brasileiros, nos sentirmos tão em casa.

Portugal tem estado na moda nos últimos tempos, atraindo turistas do mundo todo que encontram preços mais competitivos comparados aos outros países europeus, segurança, muitas opções de cidades para visitar, estradas excelentes, comida farta e uma ótima qualidade de vida para quem busca morar por lá.

Por outro lado, é verdade que os preços de aluguéis e imóveis nos últimos tempos tem subido muito principalmente em Lisboa e no Porto.

Abaixo compartilho com vocês os meus dias em Lisboa. O roteiro completo foi de 15 dias em Portugal e vou fazer um post aqui no Blog para cada cidade em que passamos. Acompanhe e deixe seu comentário. Quero muito saber o que você achou.

Roteiro completo – 15 dias em Portugal

O roteiro completo em Portugal foi de 15 dias no total, e nossa base foi Lisboa, Porto e Vale do Douro. Mas como as distâncias são muito pequenas no país foi muito fácil fazer um bate volta em cidades como Évora, Cascais, e tantas outras. Para cada uma destas cidades eu farei um post completo com todas as informações de lugares para visitar, onde comer, e hospedagem.

Acompanhem e se quiserem deixem um comentário no final do post com sua opinião. Obrigada por acompanhar o @viajandocomhistoria

1º dia – Lisboa

2º dia – Lisboa, Sintra

3º dia – Lisboa, Azenhas do Mar, Cabo da Roca

4º dia – Lisboa, Évora

5º dia – Lisboa

6º dia – Lisboa, Cascais

7º dia – Óbidos, Alcobaça, Nazaré

8º dia – Aveiro

9º dia – Porto

10º dia – Porto, Braga

11º dia – Porto, Fafe

12º dia – Vale do Douro

13º dia – Vale do Douro

14º dia – Lisboa

15º dia – Lisboa

Curiosidades para saber:

Tudo igual, mas tudo diferente: Sabe aquela sensação de que nós brasileiros temos sobre nos sentimos em casa em Portugal? É verdade, não temos a barreira da língua, muitos tem descendência portuguesa, família, a gente olha para as pessoas e as características físicas são tão similares. Mas por outro lado, apesar de toda esta proximidade, na minha opinião pessoal, a cultura portuguesa é bem diferente da brasileira. Então é importante entender estas diferenças e estar pronto para se adaptar, afinal estamos visitando o país deles.

Brasileiros em Portugal: A comunidade brasileira em Portugal é muito significativa. Em uma referência do ano de 2020, eram 180 mil brasileiros vivendo no país. Conversando com os locais, a impressão é que nas décadas passadas o perfil do brasileiro que partia era para começar a vida por lá. Este perfil tem mudado. Somado o fato de que hoje muitos empresários, funcionários podem trabalhar remoto ou digitalmente de qualquer lugar do mundo, brasileiros que tem renda e não dependem de um trabalho em Portugal tem cada vez mais buscado este país tão seguro para morar.

Livro de Reclamação: Nesta viagem aprendi sobre o famoso livro de reclamação que os estabelecimentos portugueses possuem. Eu acho que corresponderia ao nosso Procom aqui no Brasil. Funciona assim… se o cliente experimentou algum tipo de conflito com o estabelecimento, ele pode de imediato, relatar o ocorrido no livro ou online, e saber que a reclamação irá chegar a entidade reguladora. Pelo que eu senti, o livro de reclamação é algo muito sério em Portugal, então, é importante conhecer ne?  

O que é uma Tasca Portuguesa: É um lugar típico português que talvez poderíamos comparar ao nosso botequim brasileiro. São lugares geralmente pequenos, barulhentos, com comida portuguesa farta, um preço bom, com tradição e qualidade. Estou compartilhando aqui, porque antes da viagem, eu li várias indicações de tascas portuguesas,mas não entendia bem o conceito.

Custo de Vida: Portugal é um país que tem melhores preços comparados aos outros países europeus, por exemplo é fácil achar uma refeição por 10 ou 12 euros. Porém Portugal está na moda, então, os preços vem aumentando rapidamente. O que eu senti nesta viagem é que se hospedar em cidades menores como Aveiro, Alcobaça são boas opções. O país é compacto e incluir estas cidades no roteiro gera uma boa economia.

Segurança: Ouso dizer que andar na rua às 11h da noite sem a menor preocupação foi uma das melhores partes da minha viagem a Portugal. Minha sensação de segurança nesta viagem atingiu o nível máximo. Me senti segura em absolutamente em todas as cidades que eu visitei.  

Dirigir em Lisboa: Se tem um ponto que me deixou um pouco tensa em Lisboa foi parar o carro em estacionamentos muito estreitos e dirigir em ruas do centro também muito estreitas. Minha sugestão é que você alugue um carro bem compacto, porque as ruas dos bairros mais históricos e centrais não são muito convidativas para carros grandes.

Como nós percorremos várias cidades, posso afirmar que foi uma excelente decisão alugar um carro, mas em Lisboa foi um pouco difícil para dirigir e achar vagas para estacionar nos bairros históricos.

Doces Portugueses: Se tem um item absolutamente imperdível em Portugal são os doces. Nossa primeira parada foi na famosa loja Pastel de Belém e em seguida na Manteigaria. Existe uma disputa entre as duas para decidir qual é o melhor pastel de nata. Minha opinião pessoal é que  os 2 são fantásticos e perfeitos.

Talvez o pastel da Manteigaria seja um pouco mais cremoso. Mas confesso que o que realmente me conquistou foram os ovos moles que são originalmente de Aveiro. Os doces estão por toda a parte. Obrigatório experimentar todos.

D Pedro I é D Pedro IV: Esta é uma curiosidade que me deparei na 1ª viagem que fiz a Portugal. Eu não sabia que o nosso D Pedro I, era o D Pedro IV que voltou a Portugal e faleceu no palácio de Queluz. Ele está por toda a parte, em uma estátua na praça do Rossio, pinturas no Palácio da Bolsa no Porto, seus aposentos e toda sua história também são contadas explorando o palácio de Queluz.

Então fique esperto que quando algum guia contar sobre D Pedro IV, é o D Pedro que estudamos a vida toda na escola e proclamou a independência por aqui!

O número de habitantes da cidade de São Paulo cabe em Portugal: Uma comparação interessante. Na cidade de São Paulo somos 12 milhões e Portugal possui no país 10 milhões de habitantes. O país é compacto, fácil de percorrer de norte a sul, e saindo de cidades como Lisboa e Porto, é possível encontrar cidades menores, tranquilas com pouco trânsito e muito espaço.

Lugares para conhecer:

Lisboa  

Palácio Fronteira

A Casa Museu Palácio Fronteira é absolutamente sensacional. Fica em torno de 6km do centro de Lisboa e tem um pequeno estacionamento na rua em frente ao palácio. Eu nunca poderia imaginar um lugar como este em Lisboa.

A construção é de 1672 e o ponto interessante é que a 12º geração da família do marques de Fronteira, Dom João de Mascarenhas, ainda utiliza a residência. Trata-se de uma Quinta de Recreio, uma residência de verão, repleta de azulejos decorados, esculturas, jardins e fontes belíssimos inspirados na Itália, uma capela decorada com conchas, e muitas cores vibrantes.

Passei uma manhã inteira pois a propriedade é muito grande e sem dúvidas, é um lugar para ser visitado sem pressa para aproveitar cada detalhe.

Todas as visitas no interior do palácio são guiadas, feitas pela manhã e custam 13 euros. Já a visita ao jardim custa 5 euros e pode ser feita individualmente. O palácio geralmente não está no roteiro tradicional de Lisboa, talvez por ser um pouquinho afastado do centro. Mas garanto que vale o deslocamento. O palácio é incrível.

Museu Nacional do Azulejo

Para mim, quando eu penso em Portugal, uma das coisas que me vem primeiro a cabeça são os tradicionais e lindos azulejos azuis e brancos que estão espalhados pelo país e fazem parte da cultura dos portugueses. Eu não consegui conhecer o Museu Nacional do Azulejo mas deixo a dica aqui, porque com certeza, ele já está no roteiro para a minha próxima vez em Portugal.

O Museu fica em um prédio de mais de 500 anos que é o Convento da Madre de Deus, e tem vários painéis de azulejos inclusive um que mostra Lisboa antes do grande terremoto de 1755. Eu vejo fotos belíssimas de lá e sou super curiosa para ver toda esta beleza com meus próprios olhos!

Museu Nacional dos Coches

Este foi um outro museu que eu não consegui visitar, mas está na minha lista para a próxima viagem. Passei por ele de carro na volta de Belém para Lisboa. O enorme prédio de 2015 que abriga o museu é super moderno, e arrojado. A coleção é formada de carruagens, viaturas de gala, e mais de 9000 objetivos.

O 1o Museu dos Coches Reais foi inaugurado em 1905 no salão do antigo Picadeiro Real por iniciativa da rainha D. Amélia d’Orleães e Bragança, que era princesa de França e casada com o rei D. Carlos I de Portugal.

Miradouro São Pedro de Alcântara

Estava super curiosa para conhecer este miradouro pelas fotos fantásticas que já tinham passado pela minha timeline. Ele não me decepcionou. Um lugar amplo com um jardim geométrico, com uma vista que vai longe até o Rio Tejo. De um lado é possível ver o Castelo de São Jorge, uma vista panorâmica para o bairro de Alfama, a Igreja de São Roque, e no entorno é possível tomar um café em kiosks apreciando Lisboa. Este miradouro é um dos mais visitados na cidade das 7 colinas.

Ao fim da visita descemos uma rua que circula um elétrico (o tradicional bondinho português) e chegamos até a praça do Rossio. Foram em torno de 700 metros de caminhada. Mas como é para descer, então todo santo ajuda ne?

O miradouro é um dos mais bonitos de Lisboa na minha opinão, e fica na Rua São Pedro de Alcântara 1250.

Miradouro de Santa Luzia e Largo das Portas do Sol

Se tem um lugarzinho em Lisboa que eu acho muito agradável e com a carinha da cidade é o Miradouro de Santa Luzia. Sempre que vou visitá-lo, está sempre florido e com muitos turistas tirando foto da vista linda que se tem da cidade.

Mas desta vez, fui conhecer também o Largo das Portas do Sol, que fica bem ao lado descendo uma escadaria e que se tornou um lugar muito instagramável. Um arco que conta algumas passagens de Lisboa e com um ângulo lindo para a cidade.

Vale a pena passar sem pressa por lá e tomar um café debruçado para uma vista linda de Lisboa.

Castelo de São Jorge

Sabe aquele lugar que é um `must go` em uma 1ª visita a Lisboa? Na minha opinião o Castelo de São Jorge é um ícone em Lisboa, tem um miradouro fantástico, e um verdadeiro patrimônio do século XI que remete a ocupação islâmica em Portugal.

Parece que o grande terremoto de 1755 causou muita destruição ao Castelo, mas parte foi reconstruída. A visita ao Castelo é obrigatória. Além de toda a história envolvida, a vista da cidade de Lisboa é de tirar o fôlego.

Caminhar pelas torres e muralhas, observar Lisboa sem pressa no miradouro, e conhecer o sítio arqueológico do Castelo são atividades imperdíveis durante a visita

Elevador Santa Justa

Sabe aquele ponto turístico que você vai enfrentar uma fila e enquanto espera fica se perguntando se vale a pena estar ali aguardando para subir da Baixa de Lisboa até o Largo do Carmo? Ou se seria mais fácil pegar um taxi e chegar rápido.

Eu acho que é uma atração para ir uma vez, e seguir até o andar mais alto e apreciar a vista de Lisboa pertinho do Rio Tejo e de frente para o Castelo de São Jorge. Mas se a fila estiver muito grande, não duvide, é mais fácil pegar um taxi e chegar rápido.

Realmente o elevador é muito bacana e único, sua estrutura é de 1900 e toda feita em ferro fundido com cabines de madeira e tem uma pegada meio neogótica. Sem dúvida, é uma experiência diferente, e que atrai muito os turistas. No meu caso o que eu gostei mesmo foi subir até o andar mais alto por uma escadaria, depois que você sai do elevador, para chegar até o miradouro.

Ruínas da Igreja do Carmo

Saindo do Elevador Santa Justa fomos visitar as ruínas da Igreja do Carmo. Trata-se de um impactante memorial e representa o momento difícil que Lisboa passou em 1755 por causa do grande terremoto, e que deixou aquele cenário absolutamente único.

O terremoto e o incêndio destruíram grande parte do recheio da Igreja. O corpo da nave principal ficou a céu aberto e em tarde de céu azul, ela nos oferece uma vista inacreditável.

A reconstrução foi iniciada, porém decidiram interrompê-la e deixar como está na foto…um memorial para futuras gerações entenderem e verem o impacto do terremoto naquele lugar e um pouquinho da história.

Quando entrei neste museu literalmente a céu aberto senti um mix de reações. É mágico, é belo, é imponente, é deslumbrante, mas é cheio de simbolismo, já que aquele cenário único só está daquele jeito por conta da destruição de um terremoto.

A visita é absolutamente imperdível.

Praça do Comércio e Rua Augusta

Caminhando na Rua Augusta, chegamos a famosa Praça do Comércio, que era chamada de Terreiro do Paço. A praça é histórica, imponente, gigante, e uma das maiores da Europa. Está na baixa de Lisboa e de frente para o Rio Tejo. Hoje a praça é composta de instituições públicas, hotéis, restaurantes, além dos 79 tradicionais arcos.

É uma delícia passear por lá e acompanhar o cair da tarde. Em qualquer momento do dia a praça do comércio está sempre movimentada por muitos turistas e locais.

Já a Rua Augusta é uma rua de pedestres desde os anos 80, e os turistas podem encontrar de tudo por lá: pasteis de nata, lojas de souvenirs, restaurantes, artistas e vendedores ambulantes.

Uma curiosidade é que muitos estudantes que estão se formando na universidade sempre fazem apresentações na Rua Augusta com suas bandeiras para arrecadar dinheiro para a formatura. As apresentações são muito bacanas, as músicas e coreografias tradicionais são um espetáculo extra.

Praça e Estação do Rossio

Esta é uma praça bem central no bairro da Baixa onde está a estatua de D Pedro IV, que no Brasil corresponde ao nosso D Pedro I. A praça é rodeada por restaurantes e lojas. No chão, as famosas pedras portuguesas que inspiraram o calçadão de Copacabana. Em Portugal as ondas representam o encontro do Rio Tejo com o Mar, e em Copacabana, representam as ondas do mar. Não tem como caminhar por lá sem lembrar do Rio de Janeiro.

Um outro ponto imperdível para visitar é a Estação do Rossio que fica em frente a praça. É de lá que partem os trens para Sintra, mas o bacana mesmo é observar os enormes portões de ferro e arquitetura. Um sonho de lugar.

Casa do Alentejo

A entrada é um pouquinho escondida, e até difícil de achar. O taxi nos levou até bem perto, e seguimos a pé já que a rua é só de pedestres. Através de uma escadaria chegamos a uma casa árabe, moura com um pátio e uma belíssima fonte bem no centro da casa. A casa do Alentejo é um centro de cultura, e no 3º andar, o visitante encontra também um restaurante.

O lugar é belíssimo e notei que era possível participar de visitas guiadas durante a tarde, mas como tínhamos pouco tempo, queríamos mesmo conhecer um pouquinho do ambiente que parece nos teletransportar para o mundo das mil e uma noites.

LXFactory

Um lugar descolado, animado, e com muita badalação. Este foi minha impressão ao conhecer o LXFactory. A antiga fábrica de Fiação e Tecidos Lisboenses no bairro de Alcântara foi fundada em 1846 e foi toda reformada, readaptada e renasceu para ocupar um espaço muito criativo com restaurantes, hostel, lojas, galerias e muita arte de rua.

Fomos visitar no final da tarde, e o lugar já estava cheio de turistas, jovens, locais, para aproveitar o happy hour.

Na verdade, o LXFactory é uma fábrica de experiências que conta também com escritórios, locais para eventos, exposições, cursos e mistura profissionais, locais e turistas.

Caso você esteja de carro, existe um espaço bem grande de estacionamento, mas é preciso entrar por uma rua lateral bem estreita. Vale uma tarde por lá.

Pink Street

Esta rua estava no meu roteiro em Lisboa, mas nunca tinha conseguido ir até lá. Estávamos no Cais do Sodré, passamos pelo Timeout, e uma caminhada rápida nos levou até a famosa e revitalizada Pink Street. Eu já tinha ouvido que a rua ferve na noite lisboeta, mas como eu sou mais do dia do que da noite, fui visitá-la por volta da hora do almoço.

Pelo que eu li, a rua era uma área ligada a prostituição, porém, ela foi toda transformada em 2013 com ajuda da iniciativa privada e do governo de Lisboa e hoje é um ponto obrigatório dos turistas que se encantam com a arte e a rua toda pintada de rosa.

Mosteiro dos Jerônimos

Eu fiz 3 tentativas de conhecer o Mosteiro dos Jerônimos nas minhas últimas idas a Portugal, mas ou quando chegava tarde já estava fechado, ou era o dia da semana que não abria. Então desta vez me programei. Planejamento é tudo ne? Agora então em épocas pós pandemia, todo o roteiro precisa ser muito bem pensado. Bom, comprei os tickets pela internet, e lá fomos nós conhecer este lugar que eu sabia que seria sensacional. Mas uma vez não me decepcionei.

Além de toda a grandiosidade, beleza, arquitetura do Mosteiro, ele tem um significado importante referente ao período das navegações e descobrimentos. Existia uma pequena praia perto do mosteiro, e era de lá que os barcos saiam para se aventurarem pelos novos mares.

Inclusive a história conta que os monges tinham a responsabilidade de prover assistência espiritual para os navegadores. Nosso descobridor Pedro Álvares Cabral, e Vasco da Gama teriam feito seu pedido de proteção e orações em uma capela no local para partir para suas grandes aventuras, antes mesmo do mosteiro ser construído.

E aí, neste local, posteriormente foi iniciada a obra de construção do mosteiro em 1501, o que levou mais de 100 anos pela grandiosidade, pela importância e pela dimensão do mosteiro que se tornou um grande ícone no período dos grandes descobrimentos por Portugal.  

O ingresso que nós pré compramos valia para o dia todo, mas acabamos indo no final da tarde e foi ótimo porque estava muito vazio e foi muito tranquilo para visitar. E depois da visita ao mosteiro, fomos direto comer um pastel de Belém. A famosa loja fica bem ao lado. E a propósito, dizem que foram os monges que criaram a receita do pastel de nata que o mundo todo ama. Mas isso já é uma outra história.

Padrão dos Descobrimentos

A visita ao Padrão dos Descobrimentos pode ser combinada com a Torre de Belém, o Mosteiro dos Jerônimos, o Museu nacional dos Coches, e uma parada estratégica para comer um pastel de Belém. Afinal ninguém resiste a um dos melhores doces portugueses.

Trata-se de uma linda homenagem a todos os navegadores portugueses de todos os tempos que desbravaram os mares, descobriram novas terras e elevaram Portugal a uma potência nos séculos XV e XVI. Em formato de uma caravela e debruçado para o Rio Tejo, a dica aqui é subir por dentro do Padrão dos Descobrimentos para ver o pôr do sol atrás da Torre de Belém.

A vista é belíssima e com certeza será um passeio que você vai guardar para sempre na memória.

Torre de Belém

É inacreditável, mas eu nunca consegui entrar na Torre de Belém. Em cada uma das vezes que eu fui a Lisboa, ou estava em reforma, ou não estava aberta no horário ou no dia que eu estava visitando. De qualquer forma, eu adorei ver a torre por fora e andar no entorno.

A Torre é um ícone de Lisboa e de Portugal, um verdadeiro cartão postal. Então minha sugestão é se programar para que sua visita coincida com o dia que ela está aberta e ai o tour será completa.

E caminhando poucos metros a frente da Torre de Belém nos deparamos com o Padrão dos Descobrimentos.

Cristo Rei

Incluindo mais um lugar bacana para visitar e que já anotado para minha próxima ida a Lisboa. Acompanhando esta semana (nov/2021) a viagem do Thiago Paes do @paespelomundo que está na cidade, ele foi visitar o Santuário Cristo Rei.

Se nós brasileiros nos inspiramos em Portugal, para fazer o desenho do calçadão de Copacabana com as pedras portuguesas da Praça do Rossio, com as ondas do mar; os portugueses se inspiraram no Cristo Redentor no Rio de Janeiro para construir o Santuário Cristo Rei que fica debruçado para o Rio Tejo, cruzando a belíssima ponte 25 de Abril.

Parece que em 1934, durante uma viagem ao RJ, o cardeal de Lisboa se encantou com o Cristo e levou a ideia de volta a Portugal. Em 1949 foi iniciada a construção. Cruzando a ponte, saindo de Lisboa, é bem fácil de ver o imponente Santuário que atrai sempre muitos turistas. Nesta última viagem não consegui parar por lá, mas com certeza já está anotado para a minha próxima vez! Obrigada ao @paespelomundo por compartilhar todas estas belezas de Portugal.

Lince Ibérico do artista Artur Bordalo

Esta foi nossa 1ª parada assim que chegamos em Lisboa. Fui conhecer a famosa obra do artista Artur Bordalo, que é muito popular em Portugal. Ele tem grafites, e uma arte de rua espalhada por todo o mundo. Mas o que tem de especial nas obras de Bordalo II? Elas são todas construídas a partir do lixo.

Segundo suas palavras o lixo de uns é o tesouro de outros. Faz todo sentido ne? As obras de Bordalo II são de alguma forma um confronto a sociedade do consumo intenso e de coisas valiosas que rapidamente perdem o valor.

No caso do Lince Ibérico, ele queria chamar atenção para as mudanças climáticas e para a ameaça de extinção do Lince Ibérico. A obra está nos jardins do Parque das Nações que é a área mais moderna da cidade. Esta visita pode ser combinada com uma passada no shopping bacana chamado Vasco da Gama que também fica no Parque das Nações.

Parque das Nações

O Parque das Nações é uma área muito moderna da cidade de Lisboa, um pouco distante dos bairros mais tradicionais. Trata-se de um bairro que foi todo revitalizado para receber a Expo Mundial de 1998. E todo o seu legado ficou de presente para Lisboa. Tem muita arte, shoppings modernos, edifícios arrojados, oceanário, museus e um teleférico bem bacana.

Nós chegamos de carro e paramos em um estacionamento no subsolo, mas a estação oriente é a parada de Metro mais próxima deste bairro que vale a visita.

O Centro Comercial Vasco da Gama é um shopping muito moderno que com uma infinidade de lojas e restaurantes, logo em frente você irá ver a escultura Homem Sol que foi criada pelo artista Jorge Vieira. Seguimos caminhando por uma piscina retangular bem estreita e comprida que nos leva até o Rio Tejo.

No caminho é lindo observar todas as bandeiras dos países que fizeram parte da Expo 98. Ainda nesta região, fomos visitar a obra magnífica do Bordalo II, o Lince Ibérico que é feito todo de materiais jogados no lixo. Esta atração é imperdível. Não conseguimos ir ao Oceanário e nos Museus por falta de tempo, mas recomendo dedicar um dia a este local tão bacana de Lisboa.

Avenida da Liberdade

Esta é a avenida Champs-Élyseés dos portugueses. Uma avenida larga, arborizada, belíssima que liga a praça Marques de Pombal a praça dos Restauradores. É nela que se encontra os grandes hotéis 5 estrelas, as grifes internacionais de moda, cinemas, calçadas portuguesas decoradas e vários jardins incríveis.

A avenida da Liberdade é um ícone turístico em Lisboa e considerada a 35ª avenida mais cara do mundo. Minha sugestão é que você caminhe a pé observando cada detalhe deste boulevard. Mas se o tempo for curto, vale um passada de carro ou taxi por lá.

Andar de Tuk Tuk no centro histórico de Lisboa

Para a alegria dos turistas, os tuk tuks invadiram Lisboa. Eles são coloridos, práticos e perfeitos para as subidas e ruas estreitas da cidade. O preço pode ser negociado e os motoristas são meio guias turísticos também já que eles vão explicando cada pedacinho de Lisboa ao longo do trajeto.

Você piscou e tem sempre um tuk tuk a sua volta te esperando para circular por Alfama, pelo Castelo de São Jorge, pelos miradouros, praça do comércio e todos aqueles lugares que a gente adora. No nosso caso pegamos um tuk tuk na rua Augusta e seguimos até o Timeout para comer um pastel de bacalhau. É pura diversão.

Lugares para Comer & Beber

Rossio GastroBar

Conheci este rooftop incrível nesta última viagem. A entrada é um pouco escondida, mas no 7º andar do Altis Avenida Hotel, é possível encontrar um lugar muito agradável para ver Lisboa de um ângulo bem especial e diferente. Não vou dizer que o local é barato, até porque é mais do que um restaurante.

Trata-se de um ambiente muito charmoso, cool, e com vista privilegiada. Então se você procura um lugar descolado, vale a pena dar uma passada no Rossio Gastro Bar. No meu caso fui para almoçar, mas no jantar ou happy hour deve ser show também.

Timeout Lisboa

O Timeout é um complexo gastronômico que fica no mercado da Ribeira. O espaço é moderno, e oferece infinitas opções de comidinhas, lanches, almoços, doces. Tem de tudo, e é uma parada obrigatória. Existem outros timeouts pelo mundo, como Miami e NY, mas acho que o original é de Lisboa!

Confeitaria Pastéis de Belém

Sempre que digo aqui no Brasil que vou comer um pastel de Belém, eu sou sempre corrigida que o correto é dizer pastel de nata. Mas se tem um lugar que podemos chamar de pastel de Belém é na antiga Confeitaria Belém que fica bem ao ladinho do Mosteiro dos Jerônimos.

O lugar fica lotado de turistas em qualquer hora do dia. Mas fique ligado porque são 2 ambientes. Geralmente as imensas filas ao lado de fora é como se fosse um delivery, você compra e leva.

No lado esquerdo tem um grande corredor que te leva para vários e amplos ambientes para sentar e aproveitar com toda a comodidade cada pedacinho do famoso pastel de Belém. A base do doce é uma massa folhada e coberta com um recheio de ovos e leite. É maravilhoso, e o problema é que nunca conseguimos comer um só.

Sobre a origem dos pastéis de Belém, a história conta que quando os conventos e mosteiros foram obrigados a fechar, os trabalhadores resolveram fazer os doces para sobreviver. E a receita dos famosos pastéis de nata vem sendo feitas desde 1837.

Manteigaria

Existe uma disputa divertida para eleger o melhor pastel de nata entre a Manteigaria e a Confeitaria Pasteis de Belém. A Manteigaria tem várias lojas espalhadas pelo centro histórico de Lisboa, mas geralmente são lojas pequenas que você compra o pastel para levar para casa.

Eu provei os 2, e minha opinião é que eles são absolutamente fabulosos. Talvez o da Manteigaria seja um pouquinho mais cremoso. Mas minha sugestão é prove os 2 e tire suas próprias conclusões!

Palácio Chiado

Se chamava Palácio Quintela é do século XVIII, foi palco ao longo da história de banquetes, festas e bons vivants. Se tornou um restaurante incrível chamado Palácio Chiado com muitas opções gastronômicas, mas manteve seus tetos abobadados, com paredes cheias de pinturas e imagens mitológicas.

Na primeira vez que conheci o palácio Chiado, era nossa última noite em Lisboa, não tínhamos um reserva mas, conseguimos uma mesa no 2º andar em um jantar para não esquecer. Desta vez fizemos uma reserva, e só conseguimos para as 10h da noite, como queríamos muito ir lá novamente, decidimos por um jantar tarde. Minha percepção é que o Palácio Chiado estava um pouco diferente de quando fui em 2019. Desta vez havia uma grande balada no 1º andar, parecia que era uma festa de alguma empresa, e as mesas para jantar ficaram somente no 2º andar. Mas a comida foi excelente e a experiência também.

Café A Brasileira

Como passar pelo Café A Brasileira no bairro do Chiado e não notar a famosa escultura de Fernando Pessoa, ali sentadinho. Ele era um frequentador assíduo. O Café A Brasileira é um símbolo de Lisboa. Foi aberto em 1905 e é um dos mais antigos em Lisboa.

O café tão icônico na cidade foi criado por um ex emigrante português no Brasil que se casou com a filha de um cafeicultor brasileiro. Quando o casal voltou a Portugal, eles iniciaram a venda do café que na época não era muito popular. O café está sempre cheio, e é uma experiência bacana dar uma parada por lá. Ele está situado no coração do bairro do Chiado.

Hard Rock Café Lisboa

Se deu uma vontade de comer um hamburger, um restaurante legal e bem localizado é o Hard Rock Café que fica na praça dos Restauradores, a esquerda de quem vem da Avenida da Liberdade, e bem pertinho também da Praça do Rossio. É aquele endereço certo que a gente já sabe o que vai encontrar no cardápio. O Hard Rock tem instalações bacanas e fica em um antigo cinema na praça.

Casa Portuguesa do Pastel de Bacalhau

Sabe aquele lugar que fica te chamando para dentro para experimentar um bolinho de bacalhau quentinho? Então, a Casa Portuguesa do Pastel de Bacalhau é destes lugares. Andando pela Rua Augusta, entramos e experimentamos. É muito bom. A loja é bem turística, e além de comer o bolinho de bacalhau ainda da para acompanhar esta delícia sendo feita na hora. É irresistível. Este loja tem filiais também em outras cidades como o Porto.

Comur – O mundo fantástico das conservas portuguesas

Esta loja não é um restaurante, mas como é um ponto imperdível, vou incluí-lo aqui. Na verdade, são lojas espalhadas nas principais cidades portuguesas, e trata-se de uma verdadeira experiência. As sardinhas são vendidas em latinhas coloridas, pintadas e parece que você pode comprar uma latinha de sardinha correspondente ao ano do seu nascimento.

A Comur foi fundada em 1943 em Aveiro, e hoje produz mais de 30 variedades de conservas que levam os sabores dos mares portugueses para todas as partes do mundo.

Mesmo que você não goste das conservas, vale entrar na loja e sentir a experiência.

Bairros em Lisboa

O objetivo aqui é comentar um pouco sobre os principais bairros de Lisboa que possuem várias atrações de interesse.

Marques de Pombal

Este foi o bairro que escolhemos para a nossa hospedagem nesta última viagem. Achamos os preços melhores e o bairro bem central. A praça imponente homenageia o Marques de Pombal que reconstruiu a cidade de Lisboa depois do grande terremoto de 1755. A grande rotunda como os portugueses chamam que circula a praça, as vezes me lembra um pouco o trânsito do Arco do Triunfo em Paris, mas em uma escala menor. A famosa e lindíssima Avenida da Liberdade fica em uma das saídas da rotunda, e pertinho também está o El Corte Inglês um grande centro comercial que tem um pouco de tudo. Existe metro bem perto da praça então é bem fácil de se locomover.

Chiado

Este é um dos bairros que mais gosto para passear em Lisboa. O bairro é muito movimentado, com muitos turistas e atrações. O bairro tem muitas subidas, lojas e vitrines bacanas, o famoso Café a Brasileira, o delicioso restaurante Palácio Chiado, e o melhor é se perder pelas ruas e andar sem pressa aproveitando a arquitetura tão característica de Lisboa. Para cima e para baixo vemos os tradicionais elétricos cruzarem as ruas do Chiado no meio de um movimento frenético de turistas e moradores locais.

Uma curiosidade é que foi no Largo do Carmo, perto da Igreja, que aconteceu a Revolução dos Cravos na década de 70, o que culminou na queda da ditadura em Portugal.

Baixa

Pertinho do Chiado, está a Baixa, e talvez o maior ícone deste bairro seja a Rua Augusta, uma passagem de pedestres com muitos restaurantes e lojas que se estende até a famosa Praça do Comércio na beira do Rio Tejo.

O nome do bairro Baixa Pombalina é uma homenagem a Marques de Pombal que reconstriu a cidade depois do grande terremoto de 1755 e tem suas ruas simétricas e clássicas. Está lá também o elevador Santa Justa, uma estrutura de ferro com cabines de madeira, que leva os visitantes da Baixa até o Largo do Carmo.

Alfama

De todos os bairros de Lisboa, Alfama talvez seja o mais pitoresco de todos. É lá que vamos encontrar as roupas penduradas nos varais para fora das casas, um labirinto de ruas estreitas e subidas, miradouros incríveis para o Rio Tejo, o castelo de São Jorge, a catedral da Sé e casas de Fado. Um dos bairros mais antigos da cidade e com traços medievais.

Geralmente os turistas que estão na região da praça do comércio, ou na rua augusta, pegam o tuk tuk para chegarem até Alfama. O bairro tem muitas subidas, e pode acreditar, faz parte da viagem, experimentar um tuk tuk até um dos bairros mais icônicos de Lisboa.

Eu fico encantada com Alfama com seus miradouros, com suas casinhas de azulejo, com a cor dourada de Lisboa que vemos quando o sol está baixando e tem seus raios refletidos nas águas do Rio Tejo. Alfama é do jeito que sempre imaginei Lisboa.  

Parque das Nações

Já o Parque das Nações é o bairro mais modernos da cidade. Ele foi todo reconstruído para a Expo Mundial em 1998 e mostra uma Lisboa arrojada com arquitetura futurista. O bairro tem inúmeras atrações, mas é distante do centro mais histórico. O bacana é que tem uma estação de metrô Oriente, então é bem fácil circular. Reserve um dia inteiro por lá se você quer conhecer os museus, oceanário, teleférico, centro comercial Vasco da Gama, e muita arte.

Com certeza vale o passeio até o Parque das Nações.

Lugares e Hotéis para se hospedar

HF Fenix Lisboa

Desta vez escolhemos o HF Fenix Lisboa, achei a localização boa, no centro da praça Marques de Pombal, pertinho de estação de Metrô e da Avenida da Liberdade. O preço era competitivo, o quarto bem moderno e o café da manhã perfeito.

Caso você reserve algum hotel você pode usar o link do Booking.com na página do blog, no lado direito, logo no início deste texto. Você não paga nada adicional por isso, e me ajuda a continuar gerando conteúdo sobre viagens!

História para conhecer

Na minha opinião, o mais bacana da viagem a Portugal é viver um pouco da história que liga os 2 países e que é tão presente para nós brasileiros. E acho que a parte que mais nos chama atenção é o período das grandes navegações.

Portugal mudou de patamar no cenário mundial nos séculos XV e XVI por todo o espírito desbravador, destemido, e ousado, desbravando o caminho das Índias e descobrindo o caminho para o Brasil. Desbravaram os mares e ao conquistar cada território trouxeram de volta ouro, prata, escravos, e com isso se tornaram, neste período, uma grande potência no mundo ocidental. Em Lisboa existem várias referências deste tempo próspero para Portugal que foi o período dos descobrimentos. No Mosteiro dos Jerônimos por exemplo, é contado que a capela que existia ali, mesmo antes da construção do edifício, os monges já eram responsáveis por dar assistência espiritual para os navegadores que partiam em busca do desconhecido.

Um outro lugar bacana para conhecer pertinho é o Padrão dos Descobrimentos, uma linda homenagem a todos os navegadores portugueses em forma de uma caravela estilizada debruçada para o Rio Tejo.

Um outro momento marcante para Portugal, que foi devastador foi o grande terremoto de 1755, o maior na história de Lisboa que alcançou 8.7 na escala Richter. O terremoto causou um maremoto e, também um tsunami com ondas gigantes e aconteceu no dia 1º de novembro, dia de Todos os Santos, de 1755. Um dos pontos em Lisboa que é possível imaginar um pouquinho de toda esta catástrofe é a visita as ruínas da Igreja do Carmo. Os portugueses resolveram deixar a nave principal a céu aberto como um memorial para gerações futuras. Sem dúvidas, é muito impactante ir até lá.

1808 foi um ano marcante para Portugal e para o Brasil. Com uma ameaça próxima de Napoleão Bonaparte de invadir o país, D João VI partiu para o Brasil com toda a corte portuguesa somando quase 10 mil pessoas em 19 navios. Assim que a corte portuguesa chegou ao Brasil, houve a abertura dos portos brasileiros e foi permitido que a colônia brasileira pudesse praticar o comércio com o mundo todo. Foi um período de grande prosperidade para o Brasil com a abertura de escolas, faculdades, academias, bancos e o Lindo Jardim Botânico que fica no Rio de Janeiro e que eu sou particularmente apaixonada.

Em 1910 o período de monarquia português é encerrado e em um golpe de estado é estabelecido um novo regime político: a República.

Já mais recente, em 1926, em um outro período bem difícil para o país, houve um golpe militar, e Portugal viveu uma ditadura com muita repressão de direitos e liberdades. Neste período, em grande parte liderado pelo ditador Antônio Salazar, havia muita opressão contra a liberdade de colônias de Portugal na África como Angola e Moçambique.

Em 25 de Abril de 1974 com o aumento progressivo do descontentamento da população em geral, descontrole dos gastos públicos, problemas com as colônias africanas, além de divergências com as forças armadas, houve o que se chamou de Revolução dos Cravos, que é um marco na história portuguesa. Foram distribuídos cravos a todos os portugueses que lutaram contra a ditadura. Um novo governo institucional foi estabelecido em 1976.

Espero que tenham gostado da experiência que tive em Lisboa! Tem muito mais para contar a respeito de Portugal. Deixe seu comentário abaixo e obrigada por acompanhar o @viajandocomhistoria

https://www.visitlisboa.com/pt-pt

Álbum de Fotos de Portugal

E esta viagem mágica a Portugal não terminou no dia que voltei ao Brasil. Recebi o book com as melhores 60 fotos dos 15 dias que estive nesta terrinha linda e continuo viajando através de cada lembrança, de cada foto que estive com a família e com amigos.

A Fabi do @fotoloversbyfabi diagramou, e montou um álbum com uma qualidade incrível que sem dúvida me faz viajar novamente a cada vez que navego pelo álbum.

E a cereja do bolo ficou por conta do álbum ser interativo. Através do QR Code no book, eu consigo escolher e ouvir pelo Spotify todas as músicas que marcaram esta minha viagem. Se você quiser conhecer mais sobre o trabalho da Fabi ela está no Instagram @fotoloversbyfabi

32 respostas

  1. O que não pude conhecer na minha viagem conheci através da sua. Muito bom! Arrasou…

  2. Saber de todos esses detalhes aguça ainda mais vontade de visitar Portugal!
    Tive o enorme prazer de conhecer alguns desses lugares e os que não conheci, com toda certeza conheci virtualmente com excelência! Parabéns pelas escolhas e pela vontade de compartilhar com todos suas experiências!

  3. Adoro acompanhar essas viagens . Descobri mais alguns lugares para visitar em Lisboa. Muito bom. Esperando novas viagens cheias de histórias.

  4. Adoro acompanhar essas viagens . Descobri mais alguns lugares para visitar em Lisboa. Esperando novas viagens cheias de histórias.

  5. Que destino especial este ne? já com saudades e com muita vontade de voltar! grande beijo!

  6. Super obrigada pelo apoio! Grande beijo daqui do Brasil!

  7. muito bom viajar e compartilhar, super obrigada por acompanhar, grande beijo

  8. Ja com saudades desta terrinha linda ne? a gente nunca cansa de voltar a Portugal, tanta coisa linda pra ver! grande beijo e obrigada

  9. Muito bom ver todas essas fotos e acompanhar todos os lugares! Portugal realmente é muito lindo! Ótimo post!

  10. Amei tudo Adriana!!

    Matei um pouco a saudade de Lisboa.
    Obrigada!

  11. Super obrigada pelo Feedback, super imporante pra mim! Grande abraco!

  12. Foi muito gratificante acompanhar você nessa viagem a Portugal. Aprendi bastante , pude conhecer lugares lindos mesmo a distância. Anotei muitas dicas que certamente vou experimentar em maio de 2022. Parabéns pelo conteúdo!

  13. Adri parabéns tudo muito perfeito , eu fiquei com muita vontade de voltar a Portugal.

  14. Incrível a tua descrição. Adorei. Muito bom.
    Aliás isto deveria ser de leitura obrigatória. Parabéns!

  15. Puxa, fiquei muito feliz com seu feedbaack, significa muito pra mim! um grande abraço daqui do Brasil!

  16. Leliane querida, muito obrigada por compartilhar sua opinião, que saudade de você! um Beijo especial para o Pedro!

  17. Regina, Muito obrigada por acompanhar, e que delicia planejar uma viagem a Portugal, ainda tem tanto para escrever e compartilhar! e que sua viagem seja muito especial, Grande Beijo!

  18. Vanessa, super obrigada por voce compartilhar, adoro Lisboa tambem, a gente se sente muito em casa ne! Grande Abraco!

  19. Super obrigada pelo seu feedback, fiquei feliz de saber que de alguma forma meu olhar inspira proximas viagens! grande abraco!

  20. Prima, parabéns pelo seu trabalho, vc com suas histórias tão bem contadas em detalhes, nós faz viajar juntos, maravilhosas dicas e roteiros perfeitos. Fico no aguardo da próxima, e não deixe de ir a Belmonte, Viseu, Póvoa de Varzim, Viana do Castelo entre tantas cidades históricas e hospitaleiras que nossa segunda pátria nos reserva. Amei tudo, obrigada pela dedicação e cuidado nos detalhes.😘

  21. super obrigada Fatima querida pelo feedback! e quem sabe ainda vamos estar juntas la em Portugal para celebrar a familia! um grande beijo no coracao!

  22. Pela segunda vez estou lendo esse conteúdo, porque é muito bom mesmo. Estou fazendo todo o meu roteiro baseado n sua experiência de viagem. Obrigada pelas preciosas dicas e imagens.

  23. super obrigada pelo seu feedback, uma alegria saber que de alguma forma meu olhar por este mundao está influenciando a sua viagem. Que seus dias em Portugal sejam perfeitos. Tenho muito carinho pela terrinha que, nós brasileiros nos identificamos tanto ne? grande abraco!

  24. Adorei seus comentários, dicas e fotos .E a sexta vez que vou a Lisboa mas ,ainda peguei dicas suas .

  25. Conteúdo muito claro, robusto e objetivo!

    Gostei muito da iniciativa de indicar os pontos turísticos, mesmo sem conhecê-los pessoalmente, pois ajuda na montagem do roteiro, além de descobrir novos pontos!

    Parabéns! Trabalho espetacular!

  26. muito obrigada pelo carinho e por deixar sua opiniao por aqui! grande abraco!

  27. ola!!! obrigada por compartilhar várias dicas e passeios em Lisboa,
    o que fez em Porto???
    fico no aguardo
    abraços

Deixe um comentário

Adriana Direne

Adriana Direne

Apaixonada por viajar e trazer muitas histórias pra contar

Booking.com