New York: Reabertura das Fronteiras – 12 lugares imperdíveis para conhecer

Resumo do Post

A notícia de outubro de 2021 sobre a reabertura das fronteiras dos Estados Unidos, no próximo dia 8 de novembro, para os brasileiros sem a necessidade da estadia em países sem restrições, está correndo o mundo, e deixando viajantes animados e já seus preparando passaportes.

Nós estivemos em New York por alguns dias em junho de 2021 depois de uma estadia de 15 dias no México e queria compartilhar com vocês algumas atrações que visitei e revistei na cidade que nunca dorme!

Quando chegamos a New York em junho de 2021, minha impressão era de uma cidade diferente, mais vazia, com lugares comerciais fechados, um Rockfeller Center sem flores, mas ainda assim, uma cidade completamente incrível.

New York fez parte da minha 1ª viagem internacional, eu era criança, e na época, na década de 80, New York era uma cidade perigosa e insegura. A lembrança que eu tenho é de uma noite sairmos com o guia da excursão que estávamos com outros viajantes para conhecer a cidade. Meu pai, super preocupado, não queria que fôssemos, e minha mãe o convenceu já que estaríamos em um grupo grande. Era os anos 80, e lá fomos nós explorar as ruas de New York. De lá para cá, muita coisa mudou, e a cada dia a cidade fica mais incrível!

Não tenho a pretensão de escrever um post completo sobre a cidade, já que são infinitas opções, então minha proposta aqui, é deixar algumas dicas de lugares que visitei em Junho de 2021. Espero que vocês gostem!

1 – Visitar o novo Little Island – Um Jardim de Tulipas Gigantes

Um jardim de tulipas gigantes que parece flutuar sobre o Rio Hudson em New York. Esta foi a 1ª impressão que eu tive deste lindo parque que era recém-inaugurado em junho de 2021.

A entrada é gratuita, e na parte da tarde era necessário um pré agendamento. A caminhada é agradável entre passarelas que vão nos levando para alguns pequenos mirantes e jardins que estavam super floridos.

Parece que o projeto custou US$260 milhões e foi patrocinado pela fundação do casal Barry Diller e a estilista Diane Von Fursterberg. Um lugar bacana para conhecer e que pode ser combinado com o High Line Park e o Chelsea Market.

2 – Explorar o High Line Park

Esta foi minha 2ª visita ao High Line Par em New York. Sou muito fã deste lugar que tem uma passarela estreita suspensa rodeada de jardins e tudo isso feito sobre antigos trilhos de uma estação ferroviária. Geralmente o parque é sempre muito cheio de turistas, então a dica é chegar bem cedo para caminhar tranquilamente. O high Line pode ser combinado com o The Vessel, com o Chelsea Market e com a gigante loja conceito do Starbucks.

A inauguração do High Line foi em 2009, depois de uma grande luta e esforço dos moradores da cidade de New York para revitalizar esta regiã e para evitar que todos estes trilhos fossem demolidos.

O High Line Park possui 2.5Km e pode ser acessado por escadas ao longo das 21 ruas que cobre. Logo que subimos me deparei com a arte de rua do Kobra. Era um grafite cheio de significados: um encontro de Gandhi com Madre Teresa de Calcutá.

3 – Experimentar comidinhas no Chelsea Market

Sabe aquele mercado charmoso e com infinitas opções de comidinhas de todas as partes do mundo? O mercado gastronômico do Chelsea fica em uma antiga fábrica e tem mais de 50 lojas, restaurantes, galerias de arte e bares. O bacana é que a área é rodeada também de empresas como Google, Youtube, o que deixa os quarteirões com um movimento frenético de pessoas tanto turistas como moradores.

O difícil aqui é escolher o seu restaurante preferido e ter um pouco de paciência para esperar por uma mesa. Mas sem dúvidas, é um lugar `must go`.

4 – Conhecer a Loja Conceito do Starbucks

Esta loja conceito sensacional e sofisticada da Starbucks no Chelsea em New York é de impressionar. São somente 6 como está no mundo. Chicago, Milão, Shangai, Seattle e Tóquio.

Ela é moderna, tem cafés do mundo todo, máquinas gigantes onde os grãos de café são torrados e processados, uma infinidade de tortas, croissants, doces, além de um bar de experiências.

Nós tomamos um café completo por lá rodeados por uma decoração com uma pegada meio industrial, e uma padaria artesanal. Posso afirmar que a loja oferece uma experiência única e bacana. Mais um lugar imperdível na cidade de New York.

Quando fomos em junho, em função das restrições da pandemia, havia uma fila fora da loja, mas, de uma forma geral, a fila andou bem rápido. Valeu ter um pouquinho de paciência

5 – Coney Island

E fomos dar um rolê na Coney Island. Ao sul do Brooklyn, a região tem uma bela praia, um boardkwalk que lembra as praias californianas e um parque de diversões bem vintage que foi montado na década de 20.

Com certeza vocês já viram as imagens de Coney Island nos filmes `Quero ser grande` com Tom Hanks, ou no filme `Homem de Ferro` ou no `MIB` ou em tantos outros.

Do centro de Manhattan, pegamos a link Q do metrô e seguimos até a estação final. São em torno de 50 minutos e o legal é que a linha atravessa a ponte saindo da ilha de Manhattan, a vista é incrível e rende fotos lindas.

E para fechar o clima de praia americana e parque de diversões vintage, não podia faltar um clássico cachorro quente, que por sinal estava uma delícia. Se você quer conhecer uma New York por um ângulo diferente, Coney Island não pode faltar no seu roteiro agora na reabertura das fronteiras.

6 – Uma manhã no Central Park em New York

Que o Central Park é gigante todo mundo sabe, mas o segredo aqui é otimizar o tempo e conhecer aqueles lugares imperdíveis. Então segue abaixo uma listinha dos meus locais preferidos em New York.

– Bow Bridge: Aquele cenário eternizado em tantos filmes que já vimos, e com uma vista incrível, que passa por cima do lago de onde saem os barcos a remo tão românticos que são um verdadeiro cartão postal de New York

– Bethesda: Andando 100 metros a frente, chegamos no famoso e fotografado terraço Bethesda. No meio do pátio existe também uma fonte belíssima cercada de 2 escadarias que são também imperdíveis em uma caminhada pelo parque.

– Resevoir: Esta é uma parte mais afastada do parque e onde Jackie Kennedy dava suas caminhadas. O Resevoir fica muito perto do Museu Guggenhein então é possível dar uma passadinha por lá também e combinar o passeio.

 – Strawberry Fields: Se tem um lugar no Central Park em New York que os viajantes sempre dão uma paradinha é naquele mosaico no chão em homenagem a John Lennon pertinho do Edifício Dakota onde ele morava. Quem resiste a uma foto por lá?

– A estátua divertida de Alice nos País das Maravilhas. Este é um cantinho que encanta crianças e adultos na passagem pelo Central Parque.

7 – Visitar o Brooklyn Bridge Park

Foi minha 1ª vez neste parque em New York, e sem dúvida este é daqueles lugares imperdíveis para ver New York por um outro ângulo. Além de caminhar pelas ruas em volta do parque que são bem tranquilas com aquelas casinhas tradicionais, o parque tem passarelas suspensas que debruçam para o skyline de New York de uma forma arrebatadora. Caminhamos pelas passarelas, chegamos até a beira do rio, e ainda conseguimos chegar aos piers que possuem muitas quadras de esportes e aqueles bancos que nos convidam a sentar e observar aquela magnífica vista da cidade.

8 – Visitar a Neue Gallery para ver a Dama Dourada

A famosa obra de arte `A Dama Dourada` de Gustav Klimt é considerada a Monalisa da Áustria. Foi roubada pelos nazistas, estava no palácio Belvedere, mas cruzou o oceano e agora está na Neue Gallery em New York, onde eu fiquei sentadinha por alguns minutos sozinha, agradecendo por estar vendo de perto aquela obra incrível de Klimt.

Resumindo a história, trata-se do retrato de Adele Bloch-Bauer, pintado por Klimt entre 1903 e 1907. Com a invasão nazista na Áustria, os bens desta família judia foram confiscados. O quadro estava no museu Belvedere, porém depois de uma longa batalha judicial, a obra foi devolvida para a sobrinha de Adele, que vivia na California, e vendido por 135 milhões de dólares para a Neue Gallery, que fica no coração de Manhattan em New York. E se você for pela manhã, vale um brunch caprichado no charmoso restaurante deste museu que é bastante intimista.

9 – Subir e conhecer o The Vessel

Conheci o The Vessel em março de 2019, ele tinha acabado de ser inaugurado. Trata-se de uma estrutura que se assemelha a uma colméia. A construção é absolutamente sensacional e provavelmente vai virar mais um cartão postal de New York. São 2500 degraus, e o elevador só pode ser usado por pessoas com algum tipo de deficiência.

Valeu a pena subir e aproveitar mais um ângulo diferente de New York. O The Vessel fica na região de Hudson Yards e pode ser combinado com uma visita ao The Shops, um centro comercial muito moderno e novinho.

Quando eu visitei ao The Vessel era necessário o pré agendamento, porém o sistema abre com poucos dias de antecedência, então é preciso ficar de olho no site para conseguir um ingresso gratuito. Parece que agora recentemente, é possível pagar pelo ingresso e entrar sem horário marcado.

10 – Subir até o topo do One World Observatory

O Financial District passou por muitas transformações desde o 11 de Setembro, e a sensação que eu tive ao visitá-lo é que tudo o que foi construído por ali, é realmente um tributo e uma justa homenagem as vítimas deste lugar que vai ser lembrado para sempre.

Começamos pelo One World Observatory que te leva em 60 segundos para o topo de 102 andares em um trajeto interativo com telas de led exibindo um filme do surgimento de prédios de New York nos últimos séculos formando sua famosa skyline.

Em seguida visitamos o Memorial do 11 de Setembro, logo ao lado. As pessoas visitam em silêncio com muito respeito e é impossível conter a emoção ao ver caminhões de bombeiros retorcidos, vídeos, destroços e uma escadaria que ficou do edifício e foi o caminho responsável por salvar muitas vidas.

E por fim visitamos o Oculus. Trata-se de uma obra de arte do arquiteto Santiago Calatrava que criou também o Museu do Amanhã no Rio de Janeiro. O shopping / estação de trem tem formato de um esqueleto de pássaro gigante. A magnitude deste lugar é única. A sensação é toda misturada, é triste, é difícil de entender, é revoltante, mas ao mesmo tempo tem um olhar para o futuro o que nos lembra que a vida tem que continuar. Um mix de emoções em mais um lugar incrível e imperdível.

11 – Tomar um café no Bryant Park

Este é um dos parques que mais gosto em New York. Ele é menor, mais intimista, ao lado da Biblioteca pública que é um outro lugar `must go` na cidade.

O parque tem um gramado central que nos convida para um piquenique, ou um café. As cadeirinhas verdes de ferro são a carinha do Bryant Park, e durante o inverno a área central se transforma em uma pista de patinação. Sou apaixonada por este parque!

https://www.ny.gov/

12 – Passear no Rockfeller Center e caminhar na 5ª Avenida

O Rockfeller Center, na minha opinião, é um dos lugares mais lindos e emblemáticos de New York. As flores parecem serem trocada semanalmente, e a cada vez, um verdadeiro espetáculo de arte e natureza ao redor do imponente edifício Rockfeller que abriga também o observatório Top of the Rock. New York tem vário observatórios, mas este para mim, é o que tem a melhor vista já que é bem perto do Central Park. A experiência de subir ao Top of The Rock é única. Super vale a pena!

O Rockfeller Center fica na 5ª avenida, um endereço emblemático de New York. Andar sem rumo e sem pressa é um dos melhores programa para fazer na cidade.

Se você gostou deste conteúdo compartilha com quem também adora passear por New York! E deixa também seu comentário aqui embaixo. Muito obrigada por acompanhar o Viajandocomhistoria!

6 respostas

  1. puxa, muito obrigada pelo seu feedback! estou comecando o site e sua opinião é muito importante pra mim! muito muito obrigada!

  2. Sou apaixonada por NY, a tendo visitado várias vezes!! Mas seu roteiro está excelente e atualizado, fazendo com que tenha vontade de planejar uma nova viagem para passear em alguns pontos que ainda não conheço! E, ainda mais, revisitar outros que já conheço, porém com um novo olhar, despertado por suas descrições!! Parabéns e sucesso!

Deixe um comentário

Adriana Direne

Adriana Direne

Apaixonada por viajar e trazer muitas histórias pra contar

Booking.com