Viagem ao Peru e Machu Picchu

Resumo do Post

Machu Picchu sempre esteve no topo da minha lista de desejos de viagens. E como é bom realizar sonhos. Em Abril de 2023, lá fui eu, junto com outras 15 mulheres conhecer o Peru. Foi a Agência @viagensparamulheres que preparou todo o roteiro e nos levou a este país incrível.

Se você quiser viver esta experiência que eu vivi no Peru e em Machu Picchu, haverá um grupo de mulheres já com data para saída no dia 19 de abril de 2024. Você pode entrar em contato com a Yvanna que é uma das sócias fundadoras da agência, junto com a Consuelo, pelo site abaixo, ou pelo instagram @viagensparamulheres ou pelo whatsup: 11-996679550! No site abaixo você encontra todas as infos.

https://www.viagensparamulheres.tur.br/viagens/peru-19-abr-2024/

Uma das 7 maravilhas do mundo moderno, um dos locais mais enigmáticos da América Latina, o pais que tem uma das melhores gastronomias do mundo. São tantos motivos para conhecer Peru e principalmente Machu Picchu. Então convido vocês a viajarem comigo neste post onde compartilho minha experiência durante 9 dias de viagem ao Peru.

A 1a foto acima a esquerda, a Yvanna que é uma das sócias fundadoras da Agência @viagensparamulheres está na foto comigo, ela foi nossa anfitriã durante a viagem ao Peru.

Roteiro dia a dia no Peru

1o Dia – Embarque São Paulo – Lima

Embarcamos em São Paulo a noite e chegamos a Lima em um voo direto que durou aproximadamente 5h30.

2o Dia – Chegada a Lima

A chegada ao Hotel Innside by Meliá foi de manhã, e fez toda a diferença já ter o quarto disponível e um café da manhã nos esperando. A ideia era descansar um pouquinho, já que passar a noite no avião é cansativo. Mas a vontade de conhecer e ter o primeiro contato com a cidade era tão grande, que depois do café, caminhamos pelas ruas de Miraflores, um bairro bem charmoso em Lima, e que eu recomendo como hospedagem.

Shopping Larcomar

Imagina o litoral do oceano pacífico se encontrando com grandes falésias, e lá no topo um grande shopping a céu aberto com terraços incríveis debruçados para o mar. Chega a ser poético. Mesmo que você não queira comprar nada, eu super recomendo dar um pulo no Larcomar para ver a vista.

Endereço: Mal. de la Reserva 610, Miraflores 15074, Peru

Museu Huaca Pucllana

Trata-se de um santuário formado por uma grande pirâmide de adobe e argila. Estima-se que Huaca Pucllana tenha 1800 anos, e foi construída a partir de sete plataformas escalonadas. A palavra Huaca ignifica santuário e Pucllana significa lugar para brincar.

Eu não entrei no museu, mas como almocei ao lado, eu um restaurante que faz parte do complexo foi possível ver de perto as ruinas e escavações.

Huaca Pucllana foi um importante centro cerimonial e administrativo em Lima. No século 20, foram feitas escavações no local e hoje é um museu que pode ser visitado. Em 1987 Huaca Pucllana é declarado zona arqueológica intangível do Peru.

Restaurante Huaca Pucllana

Dentro do complexo é possível almoçar no Restaurante Huaca Pucllana, em uma ambiente todo aberto de frente para o museu a céu aberto. O restaurante é um charme e tem comida peruana tradicional. Eu diria que a gastronomia do Peru foi um dos pontos altos de toda a viagem. Em absolutamente todos os restaurantes que eu fui comida era absolutamente divina. Eu não tinha idéia de como a culinária peruana estava em um patamar diferente de todas as outras comidas que eu já experimentei ao redor do mundo.

Este restaurante foi meu 1o almoço no Peru, e amei tudo!

Parque del Amor

A tarde chegamos no Parque del Amor, mas meus olhos achavam que eu estava chegando no Parque Güell em Barcelona. Todo inspirado em Gaudí com mosaicos coloridos, bancos em curva, e tudo isso emoldurado com aquela vista incrível do oceano pacífico do alto das falésias.

Nem preciso falar que eu me apaixonei pelo Parque del Amor. Lugar lindo pra caminhar, fazer um piquenique ou simplesmente sentar e observar toda a beleza da natureza.

O Parque del Amor foi inaugurado em 1993 no Dia dos Namorados e é dedicado aos casais. A dica especial é chegar perto do horário do por do sol. É magnífico a vista para a Baía de Lima e o mar do pacífico.

Bairro de Miraflores

Voltamos caminhando para o Hotel que estava muito bem localizado no Bairro de Miraflores, e trata-se de um bairro muito charmoso, com muitas lojinhas, hoteis, avenidas floridas, e pontos de interesse. Passamos pelo Parque Kenedy, Parque Central de Miraflores, Inka Market e Centro artesanal Miraflores

O interessante aqui é andar sem pressa e se perdendo pelas ruazinhas.

Jantar no Restaurante Astrid & Gaston

Uma das melhores experiências gastronômicas em Lima, Peru, foi o maravilhoso restaurante Astrid & Gaston. Como se não bastasse que o restaurante Astrid & Gaston tivesse sua gastronomia reconhecida mundialmente, o local do restaurante superou todas as minhas expectativas.

La Casa Hacienda Moreyra, tem uma importância histórica relacionada a sua função rural, a beleza palaciana é maravilhosa e nela se concentravam atividades econômicas, sociais, religiosas e culturais. A casa é do século XVII e foi idealizada por um arquiteto catalão.

Voltando a Astrid & Gaston, Gaston Acurio é considerado um dos melhores chefs do mundo, e responsável por levar e divulgar a gastronomia peruana para o mundo. Nos anos 90 ele foi o primeiro profissional a compartilhar as tradições peruanas para além do país.

A experiência foi maravilhosa e eu super recomendo que você reserve uma noite em Lima para jantar no restaurante Astrid & Gaston.

Endereço: Avenida Paz Soldán 290, San Isidro 15073, Lima, Peru

3o Dia – Dia de explorar a capital do Peru – Lima

O centro histórico de Lima me lembrou as ruas da espanhas, as varandinhas de madeira me lembraram Malta, os conventos me lembraram Sevilla, e a imponência das ingrejas e catedrais me lembraram a Europa em Geral. A arquitetura é linda, e com certeza vale uma manhã inteira por lá. E adicionalmente se você tiver um guia, melhor, porque entender o significado e a historia de cada lugar, não tem preço.

Parece que foi nos anos 90, o início do processo de restauração desta região de Lima, e posteriormente foi declarado como patrimônio da humanidade pela UNESCO. O lugar é lindo, e me senti bem segura. caminhando por lá.

Plaza Mayor – Plaza de Armas

Começamos o tour pela linda Plaza Mayor que também é chamada de Plaza de Armas. Este local tem um valor histórico muito importante para o Peru, já que foi aqui, onde os conquistadores espanhóis, entre eles, Francisco Pizzaro que construíram o 1o assentamento colonial na região. Uma curiosidade é que

Começamos o tour pela linda Plaza Mayor que também é chamada de Plaza de Armas. Este local tem um valor histórico muito importante para o Peru, já que foi aqui, onde os conquistadores espanhóis, que construíram o 1o assentamento colonial na região. Uma curiosidade é que a cidade foi conhecida como Cidade dos Reis, que foi um nome dado por Francisco Pizzaro em 1535, ele foi o 1o conquistador espanhol que chegou ao Peru.

Em torno da Plaza Mayor está situado o Palácio do Governo, onde tivemos a sorte de ver a troca da guarda, a Catedral de Lima, o Palácio Municipal, e também o Palácio do Arcebispo de Lima e o Palácio da União.

Palácio do Governo

Ele também é chamado de Casa de Pizarro que é a sede do Poder Executivo do Peru. A primeira construção é de 1538 e o 1o morador foi o conquistador espanhol Francisco Pizzaro. Porém com os incêndios e terremotos no século XIX e XX foram completamente reconstruídos em um estilo neocolonial.

Infelizmente eu não consegui visitar o palácio internamente, acho que as visitas são feitas durante o fim de semana. Mas foi muito bacana ver a cerimônia de troca de guarda em um dia ensolarado na capital Lima.

Catedral de Lima

A imponente e lindíssima Catedral de Lima também foi construída em 1535, mas pelos mesmo motivos falados para a reconstrução do palácio, a catedral também passou por muitos restauros e renovações. No caso da catedral ela manteve o estilo colonial. Vale entrar para observar com calma os detalhes da arquitetura.

A inspiração veio de Sevilha, na Espanha, de acordo. As portas frontais são gigantes, e toda a arquitetura tem muita imponência.

Convento de São Francisco

Sem dúvida, este é um must go no centro histórico, não só pela arquitetura, que mais uma vez me lembrou Sevilla, mas também pelos túneis e catacumbas que podem ser visitadas.

A construção é colonial, e um grande atrativo é a série de catacumbas na qual mais de de 25 mil pessoas foram enterradas. Em 1943 o local foi descoberto.

O convento no andar superior é lindíssimo e tem uma arquietura magnífica.

Museu Larco Herrera

Saindo do centro histórico, fomos conhecer o Museu Larco. Antes mesmo de entrar para conhecer mais de 5000 anos de história do antigo Peru, me apaixonei pelos lindíssimos jardins em torno do museu. Gramado lindo, flores de todas as cores, uma explosão de cores. A visita foi fantástica.

A fundação do Museu Larco é de 1926 e reúne uma grande coleção de peças pré colombianas que contam a história do Peru.

Endereço: Av. Simón Bolívar 1515, Pueblo Libre Lima 21 – Perú (entrada pela calle Navarra 169)

Cala Restaurante & Lounge

O almoço foi em mais um restaurante imperdível. Na beira do mar, e com uma comida peruana divina. O ambiente é bastante aberto, com grandes janelas de vidro, uma decoração moderna e ao mesmo tempo arrojada.

O Cala tem gastronomia peruana e uma influência mediterrânea. Minha escolha foi frutos do mar, mas você pode escolher entre ceviches, pescados, risoto, carnes, e massas. Mais uma excelente opção em Lima. Adorei a experiência, a gastronomia, e o ambiente.

Bairro Barranco

Saindo do Cala, fomos em direção ao bairro Barranco que fica muito próximo. Este é um lugar imperdível na cidade, trata-se de um bairro artístico, com muita arte de rua, lojinhas, feiras, um bairro boêmio.

Era uma tarde ensolarada, e as ruas estavam fervilhando de gente. Barranco tem uma vibe meio Vila Madalena, comparando com a cidade de São Paulo.

Subimos as ruas de Barranco, e ao final mais uma vista lindíssima para o oceano pacífico.

3o Dia – Chegada em Cusco

Se a capital do Peru, Lima está no nível do mar, no destino seguinte, teríamos uma grande mudança. Cusco esta a 3400 metros de altitude. A viagem de avião de Lima para Cusco, dura em torno de 1hora e meia. (e a parte interessante aqui é que de carro, o nosso guia estava nos contando que pode levar até 22 horas entre Lima e Cusco, por ser uma estrada muito acidentada, irregular, e entre muitas montanhas)

E se o mês de Abril em Lima era de muito calor, ao chegar em Cusco tiramos todos os casacos, porque as temperaturas eram muito baixas. Clima bem frio.

Cusco é considerada a Capital Arqueológica das Américas já que foi na cidade que o Império Inca se estabeleceu. Cusco para mim foi uma combinação linda de muitos atributos: arquitetura, história dos incas, dos espanhóis e maravilhas naturais.

Cusco tem uma herança inca já que era a capital do império, e também uma herança espanhola. A parte interessante é que muitas das construções pré colombianas foram usadas como base para os espanhóis. Em vários lugares no centro histórico nosso guia nos mostrou, a base da casa feita de pedras, montada pelos incas, e a parte superior modificada pelos espanhóis.

O centro histórico de Cusco é maravilhoso, e muito fácil de circular. Você faz tudo a pé, e mais uma vez, a melhor parte é se perder pelas ruas descobrindo cada cantinho. E claro tirar muitas fotos com os baby alpacas. Eles estão por toda a parte. E a vontade é de levar um para casa.

Um ponto muito importante sobre Lima: a questão da adaptação aos 3400 metros de altitude. A recomendação é que o 1o dia seja bem leve, de descanso, sem muito esforço físico, porque alguns organismos sentem muito e a pessoa fica com dor de cabeça, enjoado, etc. Então descanse para aproveitar os dias seguintes.

Restaurante Calle del Médio – Cusco

 A gastronomia peruana em Cusco é um pouco diferente dos frutos do mar e peixes do litoral em Lima. Mas tão divina quanto, as opções em Cusco foram maravilhosas, como lomo saltado que são fatias de bife com batas, pimentão, cebola. Quinoa, milho, batata também estão muito presentes nas gastronomia peruana, e é inacreditável a variedade que eles tem principalmente de milho e batata.

O Calle del Médio é uma graça, almoçamos no 2o andar, e das pequenas varandas, a vista para a Plaza de Armas é lindíssima. Super recomendo.

Endereço: Plaza de armas, Del Medio 113, Cusco 08002, Peru

Caminhando por Cusco

Depois de uma descansada por causa da altitude, o dia rendeu, e ainda foi possível bater perna na cidade. O hotel era mais uma vez muito bem localizado, a poucos metros da praça principal da cidade. E os principais pontos de interesse são possíveis de serem percorridos a pé.

Se você gosta de comprinhas, aqui é um lugar excelente para compras. Achei os preços melhores do que em Aguas Calientes que é a cidade que onde nos hospedamos para visitar Machu Picchu.

O grande diferencial aqui é as roupas de lã, de Baby Alpacas, mas são caríssimas. Segundo os vendedores, a lã das baby alpacas são as melhores e mais macias do mundo. Mas realmente não era para o meu bolso. Eu comprei uma blusa de lá normal, e fiquei bem feliz!

4o Dia – Conhecendo e explorando a cidade de Cusco

O dia hoje foi acompanhado de uma guia para nos explicar a história da cidade e as heranças incas e espanholas tão presentes por todos os lugares. Me encantei com Cusco.

Igreja e Convento de Santo Domingo / Coricancha

Aqui a arquitetura espanhola e inca se misturam exatamente como em muitos pontos de Cusco. Começamos o dia na igreja de Santo Domingo que possui 3 naves e seu formato de construção é uma plataforma como uma cruz grega, já a torre é em estilo barroco.

Porém toda esta construção espanhola, igreja e convento foram construídos sobre um templo Inca dedicado a adoração do Rei Sol. Ele se chama Coricancha e seu significado é o recinto dourado. Diz a lenda que as paredes interiores eram todas cobertas com folhas de ouro. Será?

Basílica Catedral de Cusco

Sem exagero, esta foi uma das mais lindas igrejas que já entrei na vida. A imponência, a grandiosidade, a riqueza de detalhes, eu fiquei completamente hipinotizada durante toda a visita.

A Catedral de Cusco possui uma mistura de arquiteturas, entre elas, góticas, barrocas, maneiristas renascentistas. Os altares são magníficos, e os estilos predominantes são renascentista, barroco e neoclássico. Me chamou atenção muitas obras e púlpito de madeira esculpida.

Um ponto muito interessante é sobre a pintura da última ceia, esta bem única, em que o prato principal é um porquinho-da-índia.

São mais de 300 pinturas em toda a catedral. e o grande destaque fica por conta do altar principal da catedral que possui uma das mais importantes obras de ouro colonial da América. O altar contou com mais de 1250 quilos de prata. A catedral é lindíssima, um grande cartão postal da cidade de Cusco, e super vale ser visitada.

Fortaleza de Sacsayhuaman

O nome é quase impossível de se pronunciar, mas a visita foi absolutamente maravilhosa. Mais uma lugar enigmático e misterioso que nos deixa tantas perguntas na cabeça como tudo aquilo foi construído.

A fortaleza fica em torno de 2 km da praça principal de Cusco. Existem algumas dúvidas se Sacsayhuaman era uma fortaleza ou um centro cerimonial. O nome difícil de se falar significa lugar onde o falcão é saciado´.

Esta obra arquitetônica dos Incas possui torres, estradas, aquedutos, santuários, edifícios sagrados e residenciais. E estima-se que está preservado somente 40% de tudo o que os incas construiram.

Sacsayhuaman é considerado um dos lugares mais misteriosos do planeta pois até hoje não se sabe ao certo como tudo foi construído. Acredita-se que mais de 20 mil homens tenham trabalhado na fortaleza transportando pedras, e algumas estruturas chegam a pesar mais de 125 toneladas.

Enquanto você estiver caminhando observe as llamas e alpacas pelo caminho da fortaleza. Elas são super tranquilas, e com sorte você ainda consegue tirar uma foto bem pertinho delas.

Mirador del Cristo Blanco

Bem perto da fortaleza, a parada seguinte foi um mirante com uma vista ampla da cidade de Cusco. Estamos falando do Cristo Blanco, uma estátua é de granito, mármore e gesso. e com altura de 8 metros. Vale dar uma parada por lá. A vista panorâmica de Cusco é belíssima.

A história do Cristo Blanco esta ligada a gratidão pela recepção da colônia árabe palestina de Cusco. Então em 1945 eles doaram a estátua do Cristo Branco a cidade Cusco. O trabalho é do artista Francisco Olazo.

Restaurante Ciccolina

Mais um restaurante fabuloso em Cusco, que superou minhas expectativas. Comida super saborosa, o ambiente é muito agradável, e parecia que eu estava em um cenário do filme Zorro

Super recomendo o Ciccolina, ele fica bem pertinho do centro histórico e a comida é divina.

Endereço: Calle Triunfo, 393 – Segundo andar

5o Dia – Viagem para Valle Sagrado de los Incas

Saímos de Cusco em direção ao Valle Sagrado, e no caminho muitos lugares incríveis para conhecer. A primeira parada foi na chamada cidade do arco-iris, que é o povoado de Chinchero. O ônibus fica parado no início da cidade e caminhamos a pé pelas ruas com calçadas de pedra. No caminho, você encontra um artesanato lindo e colorido.

Parque Arqueológico de Chinchero

Caminhar no parque arqueológico de Chinchero e ver e perto toda a inteligência e a forma de trabalho dos Incas em relação a agricultura. A irrigação natural, as plantações em camadas, descendo as montanhas, o aproveitamento da luz do sol.

Uma visita maravilhosa e imperdível. As ruínas do parque são milenares, e estima-se que o local era um palácio Inca, e que no século XVI foi tomado pelos espanhóis. Tempos depois a área foi transformada em fazenda pelos conquistadores espanhóis, e em 1905 criado o povoado de Chinchero que é um dos distritos de Cusco.

Hacienda Huayoccari

A parada era para o almoço, mas a experiência de estar na Fazenda Huayoccari foi muito mais completa, e uma imersão na cultura inca e espanhola. Desde os tempos pré colombianos a área faz parte da produção agrícola e cultural. Por estar no coração do Valle Sagrado e perto do rio, a fazenda sempre foi um foco importante de produção de alimentos considerando todas as técnicas Incas.

Já na ocupação espanhola, a fazenda com proprietários espanhóis o local além da agricultura, segui sendo tendo um foco importante na política, arte e filantropia.

O lugar é lindíssimo, e acho que inclusive recebe eventos e casamentos. Foi maravilhoso passar algumas horas por lá!

Centro Arqueológico de Moray

O que mais me encanto na viagem ao Peru, é visitar lugares realmente únicos de uma civilização tão inteligente, com técnicas milenares, e ao mesmo tempo tão enigmáticas e misteriosas. O dia no Valle Sagrado foi realmente especial com locais que não parecem de verdade!

O sítio arqueológico de Moray é um complexo de terraços agrícolas construídos durante o Império Inca. A altitude aqui chega a 3.500 metros acima do nível do mar. No período Inca a área de Moray foi responsável por produzir 60% de todas as espécies vegetais, com uma ampla variedade, estima-se que eram 3000 espécies diferentes.

Durante o século XX, haviam muitos antropólogos pesquisando na região e um ponto de descoberta interessante foi que cada terraço cultivado em Moray reproduzia climas diferentes.

Uma visita maravilhosa e realmente imperdível.

Salinas de Maras

Mais um lugar que parece não ser de verdade. Fiquei fascinada pela visita as Salinas de Maras, que é um conjunto de mais de 5 mil poços de sal da montanha e foram construídas no período pré-Inca.

As salinas estão situadas no Valle Sagrado a uma altitude de 3200 metros acima do nível do mar, e o mais incrível, elas estão em funcionamento sem parar desde o ano 1000 antes de Cristo.

As Salinas de Mara são patrimônio cultural tomabdo pelo Peru desde 1998. e entraram para a lista provisória da UNESCO em 2019.

Na entrada das Salinas, você encontra varias lojinhas vendendo artesanato, e um ponto curioso, é que eles tem tabletes de chocolate com uma pitada de sal. Eu comprei 2 já pensando em repor a energia para subir Machu Picchu e o longo caminho da Montanha Colorida que eu ira fazer nos dias seguintes.

Hotel Sonesta Yucay – Valle Sagrado

Destaque para o hotel lindo que ficamos no Valle Sagrado, que mais parecia que tínhamos acabado de chegar nos Alpes Suíços. Que lugar lindo, parecia uma pintura.

6o Dia – Viagem para Aguas Calientes

Após o café da manhã partirmos somente com uma mala de mão para o vilarejo de Aguas Calientes, é neste lugar que os visitantes ficam hospedados para chegar até Machu Picchu. Mas antes de pegar o trem, que a propósito é super bacana, já que o teto é todo de vidro, e muito animado também, uma verdadeira balada divertida durante o trajeto, visitamos lugares únicos!

Museu Inkariy

O museu Inkariy foi nossa 1a parada ainda no Valle Sagrado dos Incas, e fica na estrada entre os pequenos povoados de Calca e Urubamba. O museu é bem bacana para ter uma visão geral das tradições, cultura e história Inca.

São 9 salas, que contam de forma cronológica sobre as culturas mais antigas do Peru: E a medida que vamos avançando nas salas, são apresentados de forma muito interessante, roupas, esculturas, maquetes das culturas peruanas. Eu gostei muito da visita, mas na minha opinião é fundamental termos um acompanhamento de um guia, porque caso contrário, perdemos muito do contexto.

Ollantaytambo

A história conta que em meados do século XV, o Imperador Pachacutec destruiu a cidade que existia neste local e fundou Ollantaytambo, que a partir de então, passou a fazer parte do Império Inca.

A palavra que também é bem difícil de se pronunciar, para nós brasileiros, significa lugar de observação a partir de baixo. E realmente quando chegamos ao sitio arqueológico da para entender o significado, pois é uma escadaria sem fim nas montanhas para observação.

Confesso que não cheguei até o topo, porque estava guardando minhas energias para Machu Picchu e a Montanha Colorida. Mas subi um pouco é mais uma vez, impressiona toda a técnica milenar de construção dos Incas. Mais um lugar incrível e imperdível para visitar.

Acredita-se que Ollantaytambo era um centro de produção agrícola, um lugar religioso, mas também por causa de sua localização, era um lugar estratégico militar e servia como um post de defesa contra os conquistadores espanhóis. Por volta de 1537 os espanhóis conquistaram integramente a região, enfrentando os Incas.

Seguimos para a estação de trem, e o almoço foi por lá mesmo, tem alguns restaurantes legais no entorno. E o coração já estava animado neste momento para pegar o trem e chegar logo em Aguas Calientes. A final viemos aqui para conhecer Machu Picchu. Mas já aviso que a viagem foi muito mais que Machu Picchu, eu não tinha idéia que ia me surpreender com cada lugar tão único no Peru.

7o Dia – Enfim, chegou o dia de conhecer Machu Picchu

Acordamos cedo, e depois do café da manhã, caminhamos até o ponto do ônibus oficial que nos levou até Machu Picchu. O ponto fica bem no centrinho da pequena Aguas Calientes. O trajeto é de em torno de 30 a 40 minutos em uma estrada estreita e com bastante subida.

Ingressos entregues, começamos nossa subida para chegar a Machu Picchu. Importante reforçar alguns pontos: não existe banheiros e nem cafeterias dentro de Machu Picchu, somente no local dos tickets, são 4 opções de circuito. Eu fiz o circuito 1, e levei em torno de 2h30 a 3h para a visita. E o sentido é único, não é possível voltar, siga sempre em frente.

Você vai precisar do seu passaporte ou carteira de identidade para entrar em Machu Picchu. É importante que você leve um tenis ou bota com solado antiderrapante. Tem muitas subidas e descidas. O tempo muda muito rapidamente, chegamos com muito frio, céu completamente encoberto e em minutos o sol já estava queimando nossa pele. E por fim, compre seu ticket com antecedência porque o número de visitantes por dia em Machu Picchu é limitado.

Dito tudo isso, eu absolutamente amei a experiência de conhecer Machu Picchu, tudo o que passa pela cabeça é como os incas fizeram todas aquelas construções em um lugar de tão difícil acesso. Como carregaram todas aquelas pedras, como eles se alimentavam. É tão misterioso, é tão enigmático.

E ao mesmo tampo é tão grandioso, aquelas montanhas gigantes, e poder ver como nossos próprios olhos a história que se passou por lá! Foi fascinante e um sonho realizado.

Sobre a historia de Machu Picchu, estima-se que foi construída durante o século XV, e as pedras foram a base para a construção. Sobre a questão do local ser tão alto, uma das teorias, está ligada a religiosidade do povo inca. Esta teoria explica que o local estaria mais próximo dos deuses.

Acredita-se que Machu Picchu era constituída de templos, casas, praças, santuários e foi um dos mais importantes centros urbanos do império Inca.

Mesmo com a chegada dos Espanhóis, como Machu Picchu era um lugar de difícil acesso , a cidade acabou ficando isolada, e não encontrada pelos Espanhóis.

8o Dia – Tour até a Montanha Colorida

Eu diria que subir até a Montanha Colorida, foi um dos grandes desafios físicos que eu enfrentei na minha vida. Foi absolutamente sensacional, e com certeza não me arrependo em nenhum momento de ter topado o desafio, mas para mim, o trajeto foi bem difícil e desafiador.

Foram 3 horas de viagem saindo de Cusco, em torno de 130k de distância. São 5100 metros acima do nível do mar, em torno de 6km de subidas e descidas, ar rarefeito, céu completamente azul, bem frio, e muitas llamas e alpacas pelo caminho.

Foi intenso, difícil, magnífico, desafiador, incrível. Todas os sentimentos juntos. Em muitos momentos eu achei que não ia conseguir chegar ao topo, mas seguimos, um passo de cada vez, e no final, um sonho realizado de ver a montanha colorida, uma verdadeira obra prima da natureza.

O maior desafio que eu senti, foi a falta de ar, e as subidas acentuadas. Mas o importante é cada um fazer no seu tempo, no seu ritmo, porque o prazer de estar diante daquelas montanhas coloridas não tem preço. Foi maravilhoso.

9o Dia – Volta ao Brasil. Saída de Cusco, parada em Lima e voo para São Paulo

Dia de acordar cedo, tomar uma café reforçado e partir para o Aeroporto de Cusco. Voamos até Lima, e de lá esperamos nosso voo para voltar a São Paulo. Coração feliz de ter realizado mais este sonho incrível.

Se você também quer viver esta experiência que eu vivi no Peru, você pode entrar em contato com a Yvanna ela é a sócia fundadora da agência @viagensparamulheres junto com a Consuelo.

https://www.gob.pe/

Deixe um comentário

Adriana Direne

Adriana Direne

Apaixonada por viajar e trazer muitas histórias pra contar

Booking.com

Veja também