Rio de Janeiro roteiros clássicos e fora do óbvio

Resumo do Post

Conheça o Rio de Janeiro dos Roteiros Clássicos mas também lugares incríveis fora do óbvio

Eu sou uma carioca que mora em São Paulo há mais de 20 anos, mas sempre que eu volto para a cidade maravilhosa eu amo turistar por lá e descobrir cantinhos escondidos, e a minha surpresa é que tem sempre novos lugares para explorar. Então o objetivo do post é montar um roteiro com aquelas atrações que são fora do circuito clássico de turismo, mas também explorar os lugares que a gente ama no Rio de Janeiro.

Espero que gostem deste olhar desta carioca apaixonada pelo Rio de Janeiro e que sempre morre de saudades da vibe carioca da cidade. Vou começar pelo roteiro ´fora do óbvio´

E antes da 30 lugares, ai vai uma dica da experiência que eu tive viajando de São Paulo para o Rio de Janeiro em Julho de 2023 com a @wemobi.oficial , que é uma plataforma de viagens de ônibus e está completando 3 anos de operação.

Te conto como foi a minha viagem com a @wemobi.oficial. A atendimento é todo digital, e achei bem rápido e intuitivo. O ônibus era super novo e escolhi a poltrona dream, que reclina 180º graus, então sono garantido! Foi bem confortável. USB, wi-fi grátis, privacidade, fizeram parte do trajeto. E adorei a possibilidade de chegar ao Rio de Janeiro, bem perto de onde eu precisava na barra da Tijuca, no shopping Uptown. São 3 opções para chegar: na rodoviária, no Bossa Nova Mall que fica no aeroporto Santos Dumond e na Barra da Tijuca.

Juntos, a Wemobi e seu parceiros  como Viação Cometa, 1001, Catarinense, Planalto oferecem mais de 3000 mil trechos e 385 destinos pelo Brasil. Parabéns pelos 3 anos de operação!

https://www.wemobi.me/

Roteiro Rio de Janeiro Fora do Óbvio

1 – Instituto Moreira Salles

O Instituto fica na Gávea e é uma casa modernista da década de 50 com jardins de Burle Marx, pisos em tabuleiros, linhas quadradas e modernistas, em uma área verde inacreditável. A casa foi a residência de embaixador e banqueiro Walther Moreira Salles e sua família e o interessante é que a casa foi projetada não para a vida familiar mas principalmente para uma intensa vida social com muitas recepções, reuniões que envolvia empresários, políticos, e artistas

Em 1999, a casa se tornou a sede do Instituto Moreira Salles aqui no Rio de Janeiro, e sempre tem um exposição bacana por lá. Neste fim de semana em Junho de 2022, eu pude conferir Clarisse Lispector.

Confesso que além da exposição o que eu amei explorar foi a casa em si, os jardins, as linhas quadradas modernistas, os painéis de azulejos projetados por Burle Marx, a natureza e o riacho em volta da casa, e claro imaginar como era a vida frenética da família Moreira Salles naquele enorme espaço.

E para fechar, o que mais me fascinou no Instituto Moreira Salles foi o gigante Cobogó que fica logo na entrada principal. Cobogós são elementos vazados, muitos deles rendilhados e treliçados que surgiram na década de 30 no Recife. São muito usados para facilitar a ventilação dos ambientes das casas. A curiosidade é que Cobogó significa as iniciais dos 2 comerciantes e 1 engenheiro que criaram este tipo de arquitetura: COimbra, BOeckmann e GOes

Onde: Rua Marquês de São Vicente, 476, Gávea, Rio de Janeiro
Quando: Terça a sexta, das 12h às 18h. Sábado, domingo e feriados (exceto às segundas), das 10h às 18h.

O instituto Moreira Salles está temporariamente fechado para reforma

2 – Casa Roberto Marinho

Ela era conhecida como o Solar do Cosme Velho aqui no Rio de Janeiro, e foi palco por 60 anos de festas, e encontros celebrando arte, música, literatura, teatro..

Esta jóia neo colonial escondida aos pés do Cristo Redentor foi construída em 1939 e inspirada no icônico Solar de Megaípe, uma fazenda em Pernambuco do século XVII.

Foi a casa da família Roberto Marinho que viveu ali de 1943 a 2003. Hoje esta fascinante casa rosa com jardins projetados por Burle Marx, está aberta ao público. Além das obras de arte, o que eu gostei mesmo, foi de sentar na sala de cinema, e ver por 15 minutos a história da casa, os artistas nacionais e internacionais que frequentavam e se apresentavam na casa, as dezenas de flamingos que ocupavam os jardins e toda a mobília original da casa. Eu que nem gosto de uma história, rs! absolutamente amei.

Onde: Rua Cosme Velho 1105

Quando: Terça a Domingo das 12h as 18h

Quanto: 10 reais e cariocas pagam meia (Junho 2022). No domingo existe o ingresso familiar: 1 inteira e 3 gratuitas

Estacionamento e Cafeteria no local

3 – Cidade das Artes

Ela foi foi Cidade da Música, inaugurada de forma inacabada em dezembro de 2008. Mas depois de muita polêmica e muito investimento, este super complexo cultural no coração da Barra da Tijuca aqui no Rio de Janeirofoi reinaugurado em 2013 como Cidade das Artes.

São 95 mil metros quadrados que incluem salas de concerto e música de câmara, salas de ensaio, galerias, camarins, salas de aula. No terraço, é possível ter uma visão panorâmica da região da Barra e a Baixada de Jacarepaguá. E agora é possível também acessar o restaurante Abry Gastro Bar, que é bem simpático e tem uma varanda panorâmica bem bacana também.

Eu fui conhecer a Cidade das Artes em maio de 2022 para ver a exposição Nova Vanguarda Carioca. São 20 painéis gigantes, arte colorida, de 15 artistas que retratam as raízes da periferia urbana no Brasil. É muito impactante e você não precisa pagar nada para entrar.

E a parte que eu mais gostei, e foi uma absoluta surpresa foi ver que no 2o andar tem uma obra incrível de Bordalo II que é um artista português que eu adoro e não imaginava que ele tinha uma obra aqui no Brasil pertinho da gente.

Onde: Avenida das Americas 5300

Quando: As áreas externas ficam abertas todos os dias das 8h às 20h

4 – Casa Julieta de Serpa

E o que o amor é capaz? Este palacete frances de 1920 no Flamengo no Rio de Janeiro nasceu de uma história de amor. O comerciante Demócrito Lartigau queria presentear sua esposa Maria José com a casa mais bela do Rio de Janeiro.

Eu acho que ele conseguiu. rs! Este palacete francês incrível e fascinante hoje além de uma casa de festas é um restaurante e durante a semana tem almoço executivo por 65 reais (Junho de 2022). Fui conhecer e amei a experiência e cada detalhe. Eu não consegui ir, mas sempre leio ótimos feedbacks sobre o chá da tarde aqui na Casa Julieta de Serpa. Então quem tiver disponibilidade de tempo, vale a pena experimentar!

O palacete pertenceu a família até os anos 2000, quando Carlos Serpa comprou para sua mãe Julieta de Serpa para fazer um casa de cultura e salvar o lugar de uma demolição. Nós visitantes, só agradecemos ne?

A casa Julieta de Serpa é imperdível e fica na Praia do Flamengo 340, quase debruçada para a baia de Guanabara.

5 – Centro Olímpico de Golfe – Bar do Golfe

Este foi um outro lugar surpreendente que conheci e já quero repetir quando voltar ao Rio de Janeiro. Não, eu não sei jogar golfe, mas o lugar tem mais do que o campo para os jogadores. O Bar do Golfe tem ficado famoso pelo happy hour. As pessoas se juntam neste local para ver o espetáculo do por do sol e confraternizar. O ambiente é muito agradável, amplo, bonito, tranquilo e cercado por um enorme campo de Golfe na Barra da Tijuca.

Eu não tive tempo para ir no happy hour, mas quando soube que durante os fins de semana o bar do golfe abre para o café da manha, fui lá conferir. O café da manhã é ok, eles tem alguns combos e você escolhe entre 4 opções. Mas confesso que eu gostei mesmo foi do lugar. O bar é completamente aberto, tem uma vibe tranquila, e a vontade é de ficar o dia inteiro vendo as pessoas jogando golfe. Adorei!

O Bar do Golfe fica na Rua General Moises Castelo Branco Filho 700 na Barra da Tijuca

6 – Jockey Club

Um espaço dedicado a corrida de cavalos há mais de 80 anos. A estrutura do Jockey Club é um verdadeiro ícone na cidade do Rio de Janeiro. Foi fundado em 1932 e está em um espaço de 640m2 , sediando o maio evento de corridas de cavalos do país, o GP Brasil.

Eu nunca tinha entrado no Joquei, mas tinha memórias de criança do tempo que eu morava no Rio de Janeiro, e via sempre em revistas e jornais das mulheres com seus vestidos charmosos e grandes chapéus assistindo as grandes corridas de cavalos. Achava aquilo tudo muito divertido.

Adorei poder conhecer de perto o Jockey, e ver aquela arquitetura linda da primeira metade do século XX. Era um sábado lindo de Junho, friozinho e muito sol, e um dia perfeito para almoçar ao ar livre. E foi exatamente o que fizemos. Escolhemos um dos restaurantes que existem dentro do hipódromo, Casa Camolese, e tivemos aquele almoço de sábado sem pressa, observando a vista, as pessoas e comendo um delicioso risoto de camarão.

Acho que os restaurantes do hipódromo não são muito conhecidos então vale uma visita sem pressa, para um almoço ou um jantar. E ainda dar para combinar com uma passada no Jardim Botânico. A entrada é bem em frente ao hipódromo. Só precisa atravessar a rua.

O Jockey fica na Praça Santos Dumont 31

7 – The Maze

Imagina um pedacinho da Barcelona de Gaudí no Rio de Janeiro. Esta foi a sensação que eu tive quando estive no The Maze (O Labirinto) em outubro de 2019, 2 adias antes do local ser fechado pela prefeitura por uma questão burocrática e reaberto agora em junho de 2022, para alegria dos visitantes.

O The Maze hoje é um centro cultural. Ele criado pelo Inglês Bob Nadkarni que é um artista britânico que se apaixonou pelo Brasil e mora no Rio de Janeiro há mais 40 anos. Ele fundou o The Maze como sua casa de artes e um ateliê.

2 coisas me surpreenderam no The Maze, as dezenas de belíssimos mosaicos construídos por artistas do mundo inteiro e que deixaram suas artes por lá. Havia uma troca de hospedagens e contribuições artistas. E o 2o ponto que me encantou foi a vista para a cidade do Rio de Janeiro do alto do The Maze que fica situado dentro da comunidade Tavares Bastos no Catete. Não tem como não se surpreender com aquela vista de tirar o fôlego.

Eu visitei o The Maze em 2019, e confesso que eu fiquei bem receosa de subir até a comunidade, porém como eu havia lido inúmeros depoimentos de pessoas que já haviam ido nesta comunidade pacificada, decidi ir. Fui de taxi, o motorista nos espero na entrada da viela, percorremos um corredor bem estreito de casas por uns 5 minutos e chegamos no The Maze. A visita foi incrível, a vista era sensacional e agradeci por aquele momento , por presenciar todo aquele lugar tão único e singular. Eu me senti segura, mas preciso deixar claro aqui, que a visita foi em 2019, e o The Maze acabou de reabrir agora em 2022. Então se informe antes de ir.

Onde: Rua Tavares Bastos 414 Casa 66 na Comunidade Tavares Bastos

Quando: Todos os dias das 13h as 17h

8 – Arte Sesc Flamengo

O Arte Sesc é um verdadeiro presente para a cidade do Rio de Janeiro. Um casarão belíssimo construído em 1912 em estilo Eclético, todo reformado e hoje aberto aos visitantes oferecendo arte, histórias, exposições, gastronomia, em uma arquitetura única.

O belo casarão era propriedade do empreendedor tcheco Frederico Figner (1866-1947). Ele trabalhava na área da indústria fonográfica e foi fundador da Odeon, a primeira gravadora musical do país.

A casa era chamada de Mansão Figner, e representava um ícone arquitetônico na cidade. Sorte a nossa de todo este patrimônio ter sido restaurado e aberto aos visitantes. O lugar é muito agradável, cheio de jardins lindos e um pequeno bistrô para uma paradinha e café depois da visita.

O Arte Sesc fica na Rua Marques de Abrantes 99, Flamengo

Exposição: segunda a sábado, das 12h às 19h.
Bistrô: segunda e terça, das 12h às 19h. Quarta a sábado, das 12h às 21h.

9 – Forte Duque de Caxias

Imagina em um só mirante observar uma visão panorâmica do Pão de Açúcar, Cristo Redentor, toda a orla da Praia de Copacabana e muito mais. Esta é a cereja do bolo para quem sobe o Forte Duque de Caxias ou como é mais conhecido o Forte do Leme.

O Forte é uma Área de Proteção Ambiental e cercada pela mata atlântica. A trilha para subir é íngreme mas relativamente tranquila. É uma trilha de paralelepípedo pela mata. Acho que eu subi em 20 a 25 minutos. E quando chegamos lá em cima, a gente só aprecia, observa e agradece. Porque o Rio de Janeiro é realmente uma cidade maravilhosa.

O lugar é bem seguro, já que fica dentro de uma unidade do exército, e na base do forte tem um pequeno estacionamento. Na volta do Forte da para combinar uma parada na ponta do leme para uma agua de côco. Um passeio delicia para uma manhã ensolarada. Eu visitei no verão, e estava bastante calor. Leve uma garrafa de água, porque lá em cima não tem nada para comprar.

Onde: Praça Almirante Julio de Noronha s/n

10 – Quebra Mar na Barra da Tijuca

Este é um daqueles lugares que a gente nunca cansa de voltar. Um pier lindo, cercado pela pedra da Gávea, pelo mar, e por casas lindas. Muita gente vai de bicicleta até o Quebra Mar, que fica no final da Avenida do Pepê na Barra da Tijuca e para por lá para tomar uma água de côco e dar uma descansada.

E ainda tem gente que vai até lá e fica na praia ao lado esquerdo do pier para um banho de mar.

O bom mesmo na minha opinião é sentar e ficar vendo o movimento do mar, e dos jetskis que entram e saem do canal da barra até o mar. Um lugar muito agradável e acho que pouco conhecido pelas pessoas que visitam o Rio de Janeiro.

11 – Igreja Imaculado Coração de Maria

Quando eu entrei na igreja Imaculado Coração de Maria, tudo me fez lembrar a Mesquita Catedral de Córdoba na Espanha. Visitei a Igreja em um domingo perto das 18h quando iria ter uma missa.

A grandiosidade, a riqueza de detalhes, os arcos listrados são uma verdadeira obra de Arte, e um ícone na arquitetura do Rio de Janeiro. A igreja é de 1917, e levou quase uma década para ficar pronta. O projeto é de uma arquiteto espanhol e foi inspirada na Catedral de Toledo.

A Igreja Imaculado Coração de Maria fica no Meier!

Endereço: R. Coração de Maria, 66 – Méier, Rio de Janeiro 

12 – Tomar um café da Manha no Hotel do histórico Largo do Boticário

Uma jóia escondida no Rio de Janeiro. O Largo do Boticário fica no Cosme Velho e tem casas do século XIX no estilo neo colonial. Elas pertenciam a um Boticário bem sucedido e que tinha a família real como sua cliente. Foi emocionante ver todas aquelas casas que eu visitava quando era criança (cheguei a fazer um trabalho de escola por lá) todas reformadas.

O Largo do Boticário é agora um hotel, e é possível tomar café da manhã, ou almoçar por lá. O espaço esta lindo e mistura o antigo com o novo.

Mais uma lugar imperdível para visitar e aproveitar o Rio de Janeiro. E uma dica é aproveitar que já está no Cosme Velho e visitar também a Casa Roberto Marinho que fica bem próxima.

Endereço: Beco do Boticário, 26 – Cosme Velho, Rio de Janeiro

13 – Mercado dos Produtores – no Uptown

Inspirado nos mercados gastronômicos europeus, o Mercado de Produtores que fica no Shopping Uptown é muito bacana para um happy hour ou mesmo para almoçar ou jantar. São 6500 metros quadrados e 2 andares com muitas opções bacanas de comidinhas, cervejas, petiscos, peixes, carnes, embutidos, lojinhas, açougues, e muito mais.

O espaço me lembrou muito o Time Out Market de Lisboa, de Miami, NY, que são espaços amplos, com aquelas mesas gigantes para compartilhar, e comidinhas rápidas, e muito gostosas.

E o bacana do Uptown é que tem lojas populares com preços bem competitivos para artigos de casa, brinquedos, um pouco de tudo! Gostei! E ainda tem grafites lindos pelos shopping que é todo aberto, arte de rua muito legal!

Endereço: Avenida Ayrton Senna, 5500, Shopping Uptown, Barra da Tijuca, Rio de Janeiro.

14 – Ilha da Gigóia na Barra da Tijuca

Um lugar tão pertinho na Barra da Tijuca mas que eu nunca tinha ido. Na minha opinião a ilha ainda é pouco conhecida dos cariocas, e menos ainda dos turistas. Estive na ilha em uma sexta feira na hora do almoço. Estava bem tranquilo, sem filas, mas já ouvi que nos fins de semana, é bom reservar algum restaurante para não ficar muito tempo na fila.

Na ilha não é permitida a circulação de carros, e para chegar somente de barco saindo da Rua Armando Lombardi na altura do número 350. Eu estacionei no Shopping Barra Point, que fica bem ao lado da rua estreitinha para pegar o barco. O acesso é bem perto também do Jardim Oceânico. A travessia leva menos de 5 minutos, e avisamos que gostaríamos de descer na região dos restaurantes. Foi a 2a parada.

As ruazinhas são bem estreitas, e demos uma circulada rápida, paramos para um almoço que estava delicioso, a especialidade era peixe e frutos do mar. E na volta pegamos um barco no próprio deck do restaurante.

Um passeio diferente para quem procura um roteiro no Rio de Janeiro, fora do óbvio!

15 – Biblioteca Nacional

Um lugar belíssimo no coração da Avenida Rio Branco, no centro da Cidade aqui no Rio de Janeiro. A Biblioteca Nacional é considerada pela Unesco como uma das 10 maiores bibliotecas nacionais do mundo.

São cerca de 9 milhões de peças, e tudo começou com a chegada na Real Biblioteca de Portugal quando a família real portuguesa chegou ao Brasil com em torno de 60 mil peças. A entrada é gratuita e você pode combinar a visita a Biblioteca Nacional com a visita guiada ao Teatro Municipal que fica praticamente em frente.

Endereço: Av. Rio Branco, 219 – Centro, Rio de Janeiro

16 – Gabinete Real Portugues de Leitura

Esta é uma verdadeira jóia escondida no centro do Rio de Janeiro. A arquitetura é de uma beleza tão única e particular. Repare no rostinho das pessoas, a expressão de surpresa, de cada um que entra no edifício.

15 anos após a independência do Brasil de Portugal, em 1837, um grupo de 43 emigrantes portugueses do Rio de Janeiro resolveu criar uma biblioteca e dar oportunidade aos portugueses residentes no Rio de Janeiro, que era a capital do Império de aumentar seus conhecimentos.

A história conta que esses homens, em sua maioria eram comerciantes da praça, e haviam sido perseguidos em Portugal pelo absolutismo e que tinham emigrado para o Brasil.

A entrada ao Real Gabinete é gratuito, e é daqueles lugares imperdíveis na cidade.

Endereço: Rua Luís de Camões, 30 – Centro, Rio de Janeiro

17 – Centro da Cidade do Rio de Janeiro

Se tem um lugar que eu adoro bater perna é no centro do Rio de Janeiro. O bacana é que hoje em dia, o centro combina a parte histórica e lugares super modernos como o Museu do Amanhã. O legal é se perder pelas ruas, claro que sempre alerta, em função da segurança. (não da para sair tirando foto com celular em qualquer lugar. eu sempre estou alerta, mas não deixo de ir nos lugares)

Ai vai uma listinha de lugares para você explorar no centro: Rua da Alfândega, que é a rua de comércio popular aqui na cidade, igreja da Candelária, tour guiado no Teatro Municipal, Biblioteca Nacional, andar de VLT, Museu do Amanhã, MAR – Museu de Arte do Rio, CCBB – Centro Cultural do Banco do Brasil, e tantos outros!

18 – Roda Gigante Yup Star

Eu adoro uma roda gigante, e confesso que em todas as cidades que viajo pelo mundo, eu reservo umas horinhas para ver a cidade por um outro ângulo. Geralmente elas ficam localizadas em lugares estratégicos da cidade em que a vista é única.

A Yup Star fica no centro do Rio de Janeiro que foi revitalizado para as Olimpíadas, e a vista é bacana. São 88 metros de altura, e a volta completa leva em torno de 20 minutos. E a sugestão é combinar a roda gigante com uma visita ao Museu do Amanhã, e caminhar pelo Porto Maravilha.

Endereço: Porto Maravilha – Av. Rodrigues Alves, 455 – Santo Cristo, Rio de Janeiro 

19 – Museu do Amanhã

Se tem um museu bacana no Rio de Janeiro é o Museu do Amanhã. Eu me surpreendi com todas as instalações, sem mencionar a arquitetura que já virou um ícone na cidade.

O projeto é do arquiteto espanhol Santiago Calatrava que tem obras espalhadas pelo mundo. O museu fica na zona portuária do Rio de Janeiro, na Praça Mauá, que foi toda revitalizada e hoje faz parte do Porto Maravilha. O museu foi inaugurado no final de 2015, e desde então é um dos museus mais visitados da cidade.

Trata-se de um museu de artes e ciências, a maioria das suas exposições é digital, e tem foco em idéias ao invés de objetivos. A experiência é maravilhosa.

O formato do edifício conta com espinhas solares que se movem ao longo da claraboia, que foram projetadas para se adaptarem a mudanças ambientais.

Endereço: Praça Mauá, 1 – Centro, Rio de Janeiro

20 – CCBB – Centro Cultural Banco do Brasil

Assim como o CCBB de São Paulo, o CCBB do Rio de Janeiro, é um centro cultural que sempre nos presenteia com exposições incríveis e surpreendentes. Adoro os 2 CCBBs nas 2 cidades!

O projeto do prédio lindíssimo em que fica o CCBB no Rio de Janeiro é de Francisco Béthencourt que foi fundador da Sociedade Propagadora das Belas-Artes e do Liceu de Artes e Ofícios do RJ. A inauguração foi em 1906. Já na década de 1920, o prédio passou para o Banco do Brasil. Na década de 60, o edifício passou a ser a sede da Agência do banco no centro da cidade do Rio de Janeiro.

A curadoria em cada exposição é magnífica, mas ai vai uma dica, mesmo que não haja nenhuma exposição ocorrendo, vale a visita ao CCBB para conhecer o prédio histórico e belíssimo.

Endereço: R. Primeiro de Março, 66 – Centro, Rio de Janeiro

21 – Parque Guinle

Quando eu entrei no Parque Guinle, tudo o que eu pensei foi… como eu demorei tanto tempo para conhecer esta joia escondida na cidade do Rio de Janeiro. O parque é tranquilo, com rotas para caminhar, lagos, muito verde e uma área para as crianças brincarem.

Mais do que um parque, a beleza também está no grande significado histórico que a área tem para o Rio de Janeiro. Ele é da década de 1920, fica no bairro das Laranjeiras e era o jardim da casa da Família Guinle.

Em 1940 o parque passa a ser propriedade do governo e o arquiteto Lucio Costa fica responsável pelo projeto de urbanização e Burle Marx pelo restauro dos Jardins.

A cereja do bolo do Parque, na minha opinião é do lindíssimo e imponente portão de ferro que foi restaurado recentemente e nos leva de volta ao passado para entendermos como era todo aquele lugar no início dos anos 1900.

Um lugar que talvez não seja muito buscado pelos turistas, mas que com certeza precisa ser visitado em sua próxima viagem a cidade do Rio de Janeiro

Endereço: Rua Paulo César de Andrade s/n – Laranjeiras

22 – A vista mais linda da Cidade – Botafogo Praia Shopping

Na minha humilde opinião, a vista mais linda da cidade fica no último andar do Shopping Praia Botafogo. Eu fui visitar em dez 2022, e acho que o lugar é relativamente novo. Vá até a praça de alimentação, e lá você vai encontrar uma escada para o roof top. E é possível também ir de elevador direto do estacionamento.

O bacana deste lugar é que é possível você acessar o roof top só para dar uma espiada na vista, é gratuito. Mas se você quiser também almoçar ou jantar por lá, também é uma ótima pedida.

Um espaço democrático, e lindíssimo para ver o cartão postal carioca. O Roof Top é debruçado para o Pão de Açucar.

Endereço: Praia de Botafogo número 400

23 – Centro Cultural Justiça Federal

Mais uma jóia escondida na cidade do Rio de Janeiro. Este prédio belíssimo construído entre 1905 e 1909 foi o Supremo Tribunal Federal do país entre 1909 e 1960 quando Brasília se tornou a capital federal.

O prédio foi projetado pelo arquiteto espanhol Adolpho Morales de los Rios, e a princípio, iria funcionar como um órgão para administrar o patrimônio ligado a Igreja Católica. Mas no meio da obra, o governo federal decidiu adquirir para instalar o Supremo Tribunal Federal

A cereja do bolo de toda a visita, que é gratuita, é a sala das sessões, com móveis em madeira e muito imponente, e com um grande área para a presença das pessoas que iriam acompanhar os julgamentos.

Entre 1994 e 2001, o prédio passou por uma ampla reforma e restauro, e posso garantir que você não vai se decepcionar ao visitar o Centro Cultural. É belíssimo. E agora tem uma cafeteria no térreo, para um cafezinho depois da visita.

Esta visita pode ser combinada com a visita guiada ao Teatro Municipal, Biblioteca Nacional e um docinho na Confeitaria Colombo.

Endereço: Avenida Rio Branco 241, Centro Rio de Janeiro

De Terça a Domingo das 11h as 19h – Gratuito

24 – Confeitaria Colombo

Se tem um lugar que me lembra sempre o Rio de Janeiro, este lugar é a confeitaria Colombo. Quando eu era criança minha madrinha me levava sempre ao centro da cidade na Colombo para comer fios de ovos. E até hoje é um dos meus doces preferidos da vida.

A centenária e deslumbrante confeitaria Colombo foi eleita pelo cite U City Guides como uma das 10 confeitarias mais bonitas do mundo. Na minha opinião, mais do que merecido.

Ela é de 1894 e todo seu ambiente e arquitetura remetem a Belle Époque francesa na então capital da república. Em 1912 e 1918 ela foi reformada e o estilo Art Nouveau foi incorporado com enormes espelhos de cristal trazidos da Antuérpia emoldurados por frisos talhados em madeira de jacarandá.

O salão de chá lindíssimo do 2o andar foi incorporado em 1922 e a cereja do bolo é a abertura no teto do pavimento térreo onde vemos belíssimos vitrais. 

Sou suspeita para falar da Colombo, porque tenho uma memória afetiva gigante por este lugar. Faz parte da minha vida, faz parte da minha história.

A dica é chegue cedo e com paciência. Sempre tem filas enormes de pessoas de todas as parte dos mundo para ver esta beleza aqui no Rio de Janeiro.

Endereço: Rua Gonçalves Dias, 32 Centro, Rio de Janeiro

25 – Confeitaria Cavé

E se você gosta de uma confeitaria, ai vai mais uma dica, a Cavé, bem pertinho da Colombo é a confeitaria mais antiga do Rio de Janeiro. Fundada pelo francês Auguste Cavé em 1860.

Entrar nela significa reviver um pouco do Rio Antigo. A arquitetura possui influência de diversos países. Lustres, vitrais, espelhos, e vidros vieram da França. As cadeiras e mesas foram projetadas por Cólon, um espanhol que residia no Brasil na época.

O prédio é bem bonito, a confeitaria é pequena. Mesmo que você não queira entrar vale dar uma passada para ver o prédio rosado.

Endereço: R. Sete de Setembro, 133 – Centro, Rio de Janeiro

Se você gostou deste conteúdo compartilhe com quem também adora viajar e quer conhecer mais sobre o Rio de Janeiro, ou então acompanhe o Instagram @viajandocomhistoria

26 – Casa Firjan – Federação das indústrias do Rio de Janeiro

Este palacete inspirado na França do século XVII, foi um presente de casamento para Celina Guinle e Linneo de Paula Machado. A casa é do início do século XX e servia como núcleo informal dos empreendimentos da família Guinle. Ela foi projetada pelo arquiteto francês Joseph Gire o mesmo que desenhou o Copacabana Palace.

Eu fique completamente impactada pelos jardins e pelo palacete. Uma verdadeira jóia na cidade do Rio de Janeiro, e o mais legal é que os jardins são abertos ao público. Haviam muitas famílias com crianças pequenas. E o jardim ainda conta com muitas cadeiras, tipo aquelas de pano para praia, para sentar e aproveitar este lugar maravilhoso que eu nem sabia que existia.

Em 1942 com a morte de Linneo, Guilherme Guinle que havia recém assumido a presidência da Companhia Siderúrgica nacional, vai morar com a irmã na casa. Todos os domingos os Guinle se reuniam no palacete para jantar e discutir seus empreendimentos. O jardim da casa passou a ser utilizado como ponto de encontro de inúmeras pessoas influentes da época.

Os Guinle de Paula Machado moraram neste palacete magnífico até 2005 quando a propriedade foi comprada pela FIRJAN. Foi incrível conhecer, se estiverem na cidade, não deixem de dar uma passada por lá!

Endereço: Rua Guilhermina Guinle 211 Botafogo, Rio de Janeiro

Instagram: @casa

27 – Casa Rui Barbosa

A propriedade é uma das últimas remanescentes das antigas chácaras agrícolas de Botafogo. O Museu Casa Rui Barbosa é tombado pelo IPHAN e hoje totalmente voltado para o lazer e descanso do público. Que lugar agradável. Estive por lá em um sábado ensolarado de abril pela manhã, e com muitas famílias e crianças brincando no imenso jardim.

Inclusive sobre o Jardim, Rui Barbosa, cuidou por 28 anos deste incrível jardim, dedicando tempo ao cultivo de rosas, árvores frutíferas, e da variada vegetação.

Foi em 1849 que o jardim foi formado, com horta, pomar, parreiral sobre os grandes vergalhões de barra de ferros, presentes até hoje.

A família Rui Barbosa foi a última a ocupar a propriedade. Em 1924 a casa foi adquirida pelo governo federal em homenagem a Rui Barbosa, e em 1930 foi transformada em museu.

O lugar é incrível, não deixem de visitar!

Endereço: R. São Clemente, 134 – Botafogo,

28 – Mirante do Pasmado

Este lugar escondidinho e pouco conhecido de turistas e até mesmo dos cariocas é o Mirante do Pasmado. A vista é para a baia de Guanabara, mas para ninguém ir desavisado, quando as árvores estão muito grandes, é preciso achar uma brechinha para ver toda a beleza.

O Mirante do Pasmado fica em Botafogo, o acesso é bem fácil de carro e agora tem um kiosk para uma água de côco e o monumento memorial das vítimas do Holocausto.

Endereço: Parque Yitzhak Rabin

29 – Monumento Memorial das Vítimas do Holocausto

O memorial fica bem ao lado do Mirante do Pasmado e foi inaugurado em Janeiro de 2023. É sempre muito impactante e triste ver tudo o que aconteceu no Holocausto. Mas como sempre ouço, é importante saber, conhecer, para nunca mais algo como este acontecer.

O Memorial apresenta a historia a partir de 3 fases, o antes que mostra famfília, costumes, cultura, uma parte colorida do museu, em seguida passamos a uma segunda sala mostrando tudo o que aconteceu, e na 3a fase mostra a rota da emigração e fuga das famílias e chegada a América, e Brasil.

A entrada é gratuita e o memorial funciona de Quinta a Domingo.

Endereço: Al. Embaixador Sanchez Gavito, 333 – Botafogo, Rio de Janeiro – RJ

30 – Parque Penhascos 2 Irmãos

O Parque foi criado em 1992, fica no bairro do Leblon em uma área de preservação ambiental com em torno de 39,55 hectares.

A vista é magnífica, é possível ver a Lagoa Rodrigo de Freitas, Jardim Botânico, Corcovado e as praias do Leblon e Ipanema. O estacionamento é bem pequeno, então a dica é vá cedo, para conseguir uma vaga. E a subida de carro é bem rápida.

Endereço: Rua Aperana, – Leblon, Rio de Janeiro. Horário Terça a domingo, das 6h às 17h

31 – Ilha Fiscal

E depois de mais de 1 ano fechado para restauro, a Ilha Fiscal reabriu em Julho de 2023 para visitas guiadas. Se tem um lugar imperdível nesta cidade é a Ilha Fiscal que ficou famosa por ser o palco do último baile do Império, dias antes de ser proclamada a República.

Ai vão as informações sobre as visitas guiadas:

Quarta a Domingo às 12h45, 14h15, 15h30, Valor referência Julho 2023, 50 reais a entrada inteira, e 25 reais meia entrada. Duração da visita: em torno de 1h45. O embarque é feito pelo Espaço Cultural da Marinha. Avenida Alfred Agache S/N Centro, Rio de Janeiro.

Site: marinha.mil.br/dphdm/ilha-fiscal

https://prefeitura.rio/

18 respostas

  1. Que lugares maravilhosos e que fotos lindassss!!!!! Muito obrigada pelas dicas! Sensacional!

  2. Incrível; é muito Bom e especial a colocação dos locais e suas histórias, amo seus Post.
    Parabéns, vc teletransporta a gente.
    E Magico, Perfeito!!
    👏👏👏👏👏👏

  3. Super obrigada pelo carinho e pelo feedback. E este post é especial pra mim ja que sou carioca, entao é muito bom continuar descobrindo lugares bacanas na cidade! grande abraco

  4. Super obrigada por acompanhar e por deixar seu comentario por aqui!

  5. pra quando voce vier por aqui novamente! muito obrigada por deixar seu comentario por aqui! grande beijo

  6. foi a 1a vez que eu fui, e eu acho que é relativamente novo, adorei tambem!

  7. E eu que fui conhecer o Rio e achei que faltavam poucas coisas para ver…. Amei suas dicas, amei seu blog.

  8. tanto lugar legal pra conhecer ne? adoro esta minha cidade! obrigada pelo carinho e por acompanhar!

  9. Ir ao Rio é como ir a um lugar especial … existe algo novo a conhecer ou algo a repetir de tão bom que é

  10. e meus proximos dias serao por aqui, ja tenho uma listinha de lugares pra conhecer!

  11. sou supspeita pra falar desta minha cidade! adoro! e obrigada por acompanhar!

  12. Tenho visitados lugares , onde eu agradeço a você.
    Super bjs Adriana Almeron

  13. Adorei as dicas. Já vou me programar para conhecer melhor essa cidade que tanto amo. Obrigada!

  14. Sou apaixonada pelo Rio.
    Vendo tudo isso, preciso voltar urgente ❤
    Obrigada Obrigada

Deixe um comentário

Adriana Direne

Adriana Direne

Apaixonada por viajar e trazer muitas histórias pra contar

Booking.com